ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
Revista M&T - Ed.260 - Dez/Jan 2022
Voltar
Lançamento

Pegada sustentável na concretagem

Com capacidade de transportar 8 m³ de material, caminhão-betoneira Schwing-Stetter AM9C3 UltraEco chega ao Brasil com a promessa de alta economia de combustível.

Modelo é o mais novo integrante da linha Light Line, que já conta com 111 mil unidades vendidas na Europa

A Schwing-Stetter apresenta ao mercado nacional o caminhão-betoneira AM9C3 UltraEco, que chega ao país com a promessa de agregar eficiência e sustentabilidade ao transporte de concreto, além de respeitar os limites de peso do segmento.

De acordo com Silvio Amorim, CEO da Schwing-Stetter Brasil, o modelo – que possui 9 m³ de volume geométrico, com 10.200 litros em linha de água – traz ao mercado a proposta de transportar 8 m³ efetivos de concreto mesmo em situações de alta inclinação, dentro das tolerâncias permissíveis na Lei da Balança, que estipula que o peso do caminhão-betoneira, somado à carga de concreto, não deve exceder o Peso Bruto Total Combinado (PBTC) para o transporte desse tipo de material.

O modelo é o mais novo integrante da linha Light Line, que a fabricante alemã lançou em 1985 e já conta com 111 mil unidades vendidas na Europa neste período.

Também disponível para toda a América Latina, o lançamento é uma versão aprimorada da configuração lançada em 2014 na Europa, igualmente com um número expressivo de vendas, registrando 4.666 unidades comercializadas desde então. “A estrutura da AM9C3 UltraEco (balão e pás de mistura) conta com aços especiais Hardox de alta qualidade, que possibilitam reduzir o peso ao mesmo tempo em que mantêm a estabilidade e a robustez”, assegura Amorim. “O peso otimizado na traseira e os extensores de descarga em plástico fazem com que o equipamento pese apenas 3.250 kg, tornando-se o mais leve do mercado.”

O modelo pode se tornar ainda mais leve para aumento da carga útil a partir de acessórios como o tanque de água pressurizada e as escadas de acesso, que podem ser customizados em alumínio. Segundo o executivo, o que também contribui para que o equipamento seja mais leve é o sistema de transmissão adotado – Ecomix II CML, da ZF –, que apresenta características como redução d


Modelo é o mais novo integrante da linha Light Line, que já conta com 111 mil unidades vendidas na Europa

A Schwing-Stetter apresenta ao mercado nacional o caminhão-betoneira AM9C3 UltraEco, que chega ao país com a promessa de agregar eficiência e sustentabilidade ao transporte de concreto, além de respeitar os limites de peso do segmento.

De acordo com Silvio Amorim, CEO da Schwing-Stetter Brasil, o modelo – que possui 9 m³ de volume geométrico, com 10.200 litros em linha de água – traz ao mercado a proposta de transportar 8 m³ efetivos de concreto mesmo em situações de alta inclinação, dentro das tolerâncias permissíveis na Lei da Balança, que estipula que o peso do caminhão-betoneira, somado à carga de concreto, não deve exceder o Peso Bruto Total Combinado (PBTC) para o transporte desse tipo de material.

O modelo é o mais novo integrante da linha Light Line, que a fabricante alemã lançou em 1985 e já conta com 111 mil unidades vendidas na Europa neste período.

Também disponível para toda a América Latina, o lançamento é uma versão aprimorada da configuração lançada em 2014 na Europa, igualmente com um número expressivo de vendas, registrando 4.666 unidades comercializadas desde então. “A estrutura da AM9C3 UltraEco (balão e pás de mistura) conta com aços especiais Hardox de alta qualidade, que possibilitam reduzir o peso ao mesmo tempo em que mantêm a estabilidade e a robustez”, assegura Amorim. “O peso otimizado na traseira e os extensores de descarga em plástico fazem com que o equipamento pese apenas 3.250 kg, tornando-se o mais leve do mercado.”

O modelo pode se tornar ainda mais leve para aumento da carga útil a partir de acessórios como o tanque de água pressurizada e as escadas de acesso, que podem ser customizados em alumínio. Segundo o executivo, o que também contribui para que o equipamento seja mais leve é o sistema de transmissão adotado – Ecomix II CML, da ZF –, que apresenta características como redução de paradas para manutenção e possibilidade de trabalho em locais de difícil movimentação e acesso. “Em comparação aos modelos anteriores da linha Basic Line, o modelo é 60 kg mais leve’, diz ele, destacando que o design foi criado pela equipe da Stetter na Alemanha.

DIFERENCIAIS

No conjunto, a autobetoneira é acoplada a um caminhão 8x4, com baixo peso próprio, tendo como diferenciais o 4º eixo direcional dianteiro, que diminui o arraste dos pneus e permite manobras em raios curtos, algo que ademais ocorre com frequência nos canteiros de obras, e entre-eixos com distância de 4.550 mm, que possibilita uma melhor distribuição de peso no equipamento.

Além disso, Amorim explica que as espirais de mistura seguem o contorno do tambor para instalação e soldagem sem tensão, procedimento patenteado que alivia o estresse nas costuras de soldagem e, portanto, aumenta a vida útil dos componentes. “Sua robustez e rolamento elastomérico poderoso o tornam adequado para uso mesmo nos mais difíceis locais de trabalho com trajetos acidentados”, garante.

Por ser mais resistente, o equipamento tem vida útil estimada para o transporte de 40.000 m³ de concreto, considerando que a solução transporta 400 m³/mês em média. “Assim, a AM 9C3 Ultra Eco poderá durar até 8,3 anos, dependendo do arredondamento das britas e distância de transporte”, calcula Amorim, que também prevê um cenário positivo para o setor no próximo ano. “Esse é um bom momento para investir no segmento de concreto, que deve se manter em crescimento a um ritmo de 10% a 15% em 2022”, comenta.

Desenvolvido na Alemanha, modelo AM9C3 UltraEco tem 9 m3 de capacidade nominal

SUSTENTABILIDADE

Além da configuração, outro aspecto de destaque do lançamento é sua pegada sustentável, expressa no próprio nome do equipamento.

O executivo aponta que, ao transportar 8 m³ efetivos de concreto, o modelo obtém de 1,5 m³ a 2 m³ de concreto a mais por viagem, na comparação com os modelos tradicionais, o que – dependo do traço do concreto – significa uma redução considerável no consumo de combustível. “Ou seja, menos consumo de combustível, menos emissão de CO2 e menos poluição ao meio ambiente”, sublinha Amorim.

De acordo com o especialista, os números comprovam isso. Citando um estudo global recente, o executivo aponta que o transporte de cada metro cúbico de concreto consume, em média, 0,9 galão de combustível (cada galão equivale a 3,7 1itros).

Dessa forma, pode-se considerar uma economia média de 1,57 litro em cada viagem transportando 8 m³ de concreto. Ao final de oito anos de trabalho, a AM 9C3 Ultra Eco economizará 7.536 litros de diesel, além de 20% de pneus, pastilhas de freio e demais materiais de desgaste cujas matérias-primas são extraídas e processadas nas indústrias de transformação.

“Tudo isso, obviamente, também resultará em menos desgaste do motor, menor consumo de óleo e de desgaste do redutor do balão, com menos quilometragem do caminhão”, acentua o especialista. “São esses detalhes que fazem a eficiência e o desempenho da AM 9C3 Ultra Eco se alinharem à política de sustentabilidade que hoje está tão difundida no debate global e, consequentemente, nas estratégias das empresas”, delineia.

O executivo ressalta que esses cálculos têm como referência apenas uma unidade da solução. “Ou seja, se pensarmos em uma frota de 80 a 100 betoneiras, a contribuição para o meio ambiente e a economia financeira será ainda mais significativa para as concreteiras de médio porte”, arremata Amorim.

Saiba mais:
Schwing-Stetter:
www.schwingstetter.com.br