ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
Revista M&T - Ed.260 - Dez/Jan 2022
Voltar
Lançamento

Evolução pede passagem

Com uma linha de implementos rodoviários totalmente renovada, a Librelato anuncia investimentos para impulsionar a participação de mercado no Brasil e no exterior
Por Marcelo Januário (Editor)

Posicionada entre as maiores implementadoras do Brasil, a Librelato acaba de dar o passo mais audacioso de sua história com a renovação da linha de produtos, ampliação da estrutura e reforço das estratégias de comercialização.

Com a nova linha Evolut, lançada em novembro, a empresa pretende ampliar a participação no mercado nacional e as exportações. Neste ano, a empresa projeta comercializar cerca de 13,7 mil implementos, o que representa crescimento acima de 45% em relação ao ano passado, com receita de R$ 1,8 bilhão (+75%). Para 2022, a projeção é de +30% nas vendas.

Desse total, mais de mil unidades foram destinadas ao mercado externo, um recorde da empresa, representando avanço de 150% nas exportações. O desempenho posiciona a companhia como segunda maior exportadora de semirreboques do país, atendendo a mercados como Paraguai, Chile, Uruguai e Bolívia.

Para 2022, a empresa prevê crescimento de 20% nas exportações a partir da abertura de novos mercados. “O mercado vem dando resposta”, comemora José Carlos Sprícigo, CEO da empresa. “É um mercado pequeno, mas que todo mundo quer beliscar.”

PORTFÓLIO

O salto baseia-se em um portfólio renovado, que aposta em atributos como modularização e eficiência energética. Com novo design, a nova linha Evolut é composta por rodotrens basculante e graneleiro, semirreboques tanques e furgões lonado e alumínio.

A linha traz soluções desenvolvidas com aços especiais, que conferem maior leveza em relação à geração anterior, além de design que privilegia a aerodinâmica, resultando em maior capacidade e menor consumo. “O desafio é produzir implementos mais robustos e, ao mesmo tempo, mais leves”, diz Sprícigo. “Para isso, fomos atrás de novos materiais e tecnologias, e demos respostas assertivas ao mercado.”

Em conjunto, as novas famílias – que devem chegar ao mercado com reajuste de até 35% – incluem câmeras d


Posicionada entre as maiores implementadoras do Brasil, a Librelato acaba de dar o passo mais audacioso de sua história com a renovação da linha de produtos, ampliação da estrutura e reforço das estratégias de comercialização.

Com a nova linha Evolut, lançada em novembro, a empresa pretende ampliar a participação no mercado nacional e as exportações. Neste ano, a empresa projeta comercializar cerca de 13,7 mil implementos, o que representa crescimento acima de 45% em relação ao ano passado, com receita de R$ 1,8 bilhão (+75%). Para 2022, a projeção é de +30% nas vendas.

Desse total, mais de mil unidades foram destinadas ao mercado externo, um recorde da empresa, representando avanço de 150% nas exportações. O desempenho posiciona a companhia como segunda maior exportadora de semirreboques do país, atendendo a mercados como Paraguai, Chile, Uruguai e Bolívia.

Para 2022, a empresa prevê crescimento de 20% nas exportações a partir da abertura de novos mercados. “O mercado vem dando resposta”, comemora José Carlos Sprícigo, CEO da empresa. “É um mercado pequeno, mas que todo mundo quer beliscar.”

PORTFÓLIO

O salto baseia-se em um portfólio renovado, que aposta em atributos como modularização e eficiência energética. Com novo design, a nova linha Evolut é composta por rodotrens basculante e graneleiro, semirreboques tanques e furgões lonado e alumínio.

A linha traz soluções desenvolvidas com aços especiais, que conferem maior leveza em relação à geração anterior, além de design que privilegia a aerodinâmica, resultando em maior capacidade e menor consumo. “O desafio é produzir implementos mais robustos e, ao mesmo tempo, mais leves”, diz Sprícigo. “Para isso, fomos atrás de novos materiais e tecnologias, e demos respostas assertivas ao mercado.”

Em conjunto, as novas famílias – que devem chegar ao mercado com reajuste de até 35% – incluem câmeras de ré com ângulo de visão de 120 graus e opção de visão noturna, além de central de comando wireless (independente do cavalo, conectada diretamente ao celular).

Já o sistema de iluminação recebeu atualização em toda a linha, antecipando-se à legislação. “Procuramos evoluir na fase anterior à inovação, no chamado QFD (Quality Function Deployment), que significa antecipar as necessidades dos clientes em requisitos de projeto”, explica Fábio Rossi Tronca, gerente de engenharia de produto da Librelato, revelando que em breve a empresa trará novidades no campo da conectividade. “Ainda não posso abrir, mas já estamos trabalhando nisso.”

RODOTRENS

Com 400 kg de redução de tara, o novo rodotrem basculante com engate esférico foi apresentado como o mais leve do mercado, além de mais econômico (2% em relação ao modelo anterior). “A redução de peso representa rentabilidade na veia dos clientes”, comenta Marco Camargo, diretor de operações da Librelato.

Basculante Evolut tem 400 kg a menos de tara em relação à geração anterior

Com giro de 90 graus em relação ao conjunto dianteiro, o Dolly Modular rebaixado permite a abertura completa da tampa traseira, sem necessidade de desacoplar o implemento no descarregamento. Incorporando novas colunas estruturais, o modelo oferece opções de customização do revestimento da caixa de carga, com diferentes espessuras e tipos de aço (de alta resistência, ultra resistência e anticorrosivos), conforme a necessidade.

Por sua vez, o rodotrem graneleiro é equipado com eixos do tipo bitola larga, com distância entre o apoio das molas 100 mm maior, o que assegura ganho de 5% na estabilidade. A medida passa a incorporar todos os implementos com conceito de plataforma no chassi, incluindo furgão alumínio e lonado.

Mantendo a tecnologia Pró-Nio, o graneleiro oferece liga mais resistente, além de contar com módulos parafusados, que permitem a modularização. “Com componentes parafusados como, por exemplo, engate tipo ‘G’ nos perfis laterais, porta-estepe, para-choque, protetor lateral e demais acessórios, facilita-se a instalação e a manutenção, ganhando ainda agilidade na linha de produção”, aponta Tronca.

FURGÕES E TANQUE

Na família de furgões, as linhas de equipamentos lonados e de alumínio trazem assoalho remodelado, que promete maior resistência com menor peso.

Composta por semirreboques de três eixos e bitrem de seis eixos, a linha de furgões alumínio passou por mudanças no design e na fixação do quadro traseiro. Com redução de 200 kg no peso, o conceito de quadro modularizado e parafusado ao chassi apregoa maior segurança e robustez, com melhor alinhamento e vedação nas portas traseiras, além de facilidade de manutenção.

A característica de resistência está na estrutura de colunas em aço e no ripamento, em aço galvanizado ou alumínio. Os opcionais incluem rodas de alumínio, suspensão pneumática, sistema elétrico padrão Mercosul, porta traseira “Roll Up”, entrada de ar fixada no frontal e/ou nas laterais, além de variações no tipo de revestimento interno e na altura da caixa de carga.

No rol de furgões lonados, o lançamento inclui a versão de semirreboque de três eixos, além de rodotrem e bitrem de seis eixos. A principal característica é a possibilidade de carregamento / descarregamento por toda a extensão lateral, além de portas traseiras para operações em docas.

Cerca de 200 kg mais leve, a estrutura manteve o frontal com coluna em aço e fechamento de chapas em alumínio, que promete maior leveza e durabilidade. Com trama 12 x 14 nas laterais e no teto, a lona ganhou nova catraca de esticamento, além de um exclusivo sistema de amarração de carga, composto por redes e cintas suspensas.

No segmento de tanques, o novo modelo tem capacidade de 32 mil l, ou 2 mil l de gasolina/etanol e 600 l de diesel a mais em relação aos concorrentes. “O ganho em capacidade varia entre 7% e 10%, dependendo do modelo e da quantidade de compartimentos”, diz Tronca.

O aumento da carga líquida foi obtido pelo novo formato das calotas, quebra-ondas e corpo do tanque, mantendo a resistência e durabilidade, com mais leveza e versatilidade. “Outro atributo é que padronizamos a caixa de carga com duas seções, agora no formato cilíndrico para toda a família”, explica o gerente.

Nova linha inclui opções (em sentido horário) de tanque, furgão alumínio, graneleiro e furgão lonado

Cerca de 470 kg mais leve, o modelo traz inovações como chassi modular, que permite o uso de opcionais, e uniões parafusadas, que reduzem custos de manutenção. Já o novo protetor lateral tem articulação simplificada, facilitando o acesso às tubulações e diminuindo o tempo de carga e descarga.

PRODUÇÃO

Para abrigar os novos produtos, a linha fabril receberá investimentos de R$ 198 milhões nos próximos três anos, a maior parte voltada para a Indústria 4.0. Somando as duas unidades em Içara e uma em Criciúma, a produção atual gira em torno de 60 unidades/dia.

Com as ampliações iniciais de 4,5 mil m2 na área fabril e de 11,3 mil m2 para expedição, seguidas por uma fábrica de chassi com 16 mil m2, a produção deve chegar a 90 unidades/dia ao final de 2023. “Em dois anos, queremos crescer 50% na produção”, aponta Sprícigo.

Além da ampliação, a incorporação de tecnologias inclui um equipamento de corte a laser de 15 mil V, capaz de processar 80 m/min de material. “Isso vai tirar um gargalo na nossa produção”, ressalta Sprícigo, destacando que a empresa também investiu em uma célula robotizada exclusiva para a linha graneleira, que permite a solda completa do implemento em apenas 35 min, reduzindo em 30% o tempo de produção.

Empresa aposta em modelo itinerante para venda de peças

A partir de 2022, a Librelato apresenta uma opção exclusiva para os distribuidores com o novo conceito de autosserviço nas estradas. Com investimento em torno de R$ 300 mil por unidade, o Box Libreparts é instalado em um contêiner padrão de 12x2,50 m, posicionado em locais de intensa movimentação como postos, feiras, portos e outros.

Box Libreparts: conceito de autosserviço nas estradas para peças de alto giro

Com cerca de 200 itens expostos em uma área de 30 m2, o box oferece peças de maior giro aos mais de 15 mil clientes da marca, incluindo sistemas de iluminação, lonas, válvulas, faixas refletivas, cintas de amarração e outras, além da possibilidade de compras via catálogo on-line.

“Queremos atender os clientes nos horários em que estão parados”, afirma Daniel Zilio, gerente de Libreparts, acrescentando que o projeto prevê boxes em um raio de até 200 km das oficinas e lojas Libreparts. “O objetivo é abrir 20 boxes até o final de 2022, chegando a 100 unidades no médio prazo”, completa.

Saiba mais:
Librelato: www.librelato.com.br