FECHAR
Voltar

Painel

Revista M&T Edição 124 - 01/2010

TM amplia a linha de movimentação de cargas

Ao completar 23 anos de atuação no mercado, a fabricante de equipamentos hidráulicos TM amplia seu portfólio de produtos para movimentação de cargas com o lançamento de uma nova linha de pontes rolantes. Criada para prestar serviços de usinagem, em 1986, a empresa começou a desenvolver produtos próprios, iniciando a fabricação de guindastes hidráulicos veiculares, talhas elétricas, guindastes giratórios, pórticos rolantes, monovias retas e curvilíneas, motores para translação e pontes rolantes, entre outros.

O empresário Antonio Roberto Munhoz, fundador e diretor da TM, afirma que os guindastes veiculares da empresa são projetados para proporcionar baixo custo de manutenção e estão disponíveis em modelos de 3,5 a 60 tm de capacidade de carga. “Todos os nossos cilindros são de dupla vedação, o que proporciona maior vida útil ao componente, e os modelos com capacidade acima de 20 tm contam com três mancais de apoio na coluna de giro, para sua maior resistência e a segurança na elevação da carga”, diz ele.

Na linha de pontes rolantes, ele explica que os equipamentos são construídos em formato de viga caixão, para resistir aos esforços e tensões de acordo com parâmetros estabelecidos por normas internacionais. Eles podem ser do tipo univiga, com capacidades de 1 t a 10 t de carga e vão máximo de 22 m, ou do tipo dupla viga, que atinge vãos de 30 m e capacidades de até 30 t. Além disso, a empresa também produz pontes rolantes suspensas de até 6,3 t, que operam com vão máximo de14 m.

Entre outras características desses equipamentos, duas das suas quatro rodas são acionadas por conjunto motor redutor- freio, sendo uma em cada cabeceira. As rodas utilizadas, aliás, são de ferro fundido nodular com duplo flange. “Além disso, utilizamos os roletes de guia nas cabeceiras para compensar possíveis desalinhamentos do caminho dos rolamentos, de forma que o desgaste das abas das rodas seja mínimo”, afirma Munhoz.

Essa preocupação com o controle de todo o processo produtivo faz com que a empresa opte por fabricar até mesmo os motorredutores com rotor de gaiola que são usados tanto nas talhas como na translação da ponte e do trole. “Fazemos questão de manter esse controle para a garantia de nossos equipamentos”, conclui o empresário.