P U B L I C I D A D E

ABRIR
FECHAR

P U B L I C I D A D E

ABRIR
FECHAR
RESULTADOS
Voltar

Vendas globais da ZF chegam a € 21,2 bilhões no 1º trimestre

Volume de pedidos de acionamentos elétricos para veículos comerciais totaliza € 23 bilhões até 2030

Assessoria de Imprensa

05/08/2022 07h16 | Atualizada em 08/08/2022 14h04

No 1º semestre de 2022, a ZF se manteve firme em um ambiente de mercado globalmente desafiador e volátil.

Nos primeiros seis meses deste ano, a empresa alcançou vendas de € 21,2 bilhões (ante € 19,3 bilhões em 2021), um aumento de 10% acima do período do ano anterior.

O EBIT ajustado totalizou € 851 milhões (€ 1 bilhão no ano passado), equivalentes a uma margem EBIT ajustado de 4% (5,2% em 2021).

O fluxo de caixa livre ajustado totalizou € 630 milhões negativos (menos € 186 milhões em 2021), impulsionado principalmente pelo estoque de segurança, que é influenciado pelos efeitos cambiais e pelo aumento de preços dos materiais.

“O 1º semestre do ano foi marcado por muitas incertezas e influências externas”, disse Wolf-Henning Scheider, CEO do Grupo ZF, ao apresentar os números semestrais na quarta-feira (3).

Segundo ele, a guerra na Ucrânia, os bloqueios relacionados à pandemia na China, a disponibilidade limitada de semicondutores e a inflação significativa afetaram os negócios.

“Nosso foco é encontrar o equilíbrio cert

...

No 1º semestre de 2022, a ZF se manteve firme em um ambiente de mercado globalmente desafiador e volátil.

Nos primeiros seis meses deste ano, a empresa alcançou vendas de € 21,2 bilhões (ante € 19,3 bilhões em 2021), um aumento de 10% acima do período do ano anterior.

O EBIT ajustado totalizou € 851 milhões (€ 1 bilhão no ano passado), equivalentes a uma margem EBIT ajustado de 4% (5,2% em 2021).

O fluxo de caixa livre ajustado totalizou € 630 milhões negativos (menos € 186 milhões em 2021), impulsionado principalmente pelo estoque de segurança, que é influenciado pelos efeitos cambiais e pelo aumento de preços dos materiais.

“O 1º semestre do ano foi marcado por muitas incertezas e influências externas”, disse Wolf-Henning Scheider, CEO do Grupo ZF, ao apresentar os números semestrais na quarta-feira (3).

Segundo ele, a guerra na Ucrânia, os bloqueios relacionados à pandemia na China, a disponibilidade limitada de semicondutores e a inflação significativa afetaram os negócios.

“Nosso foco é encontrar o equilíbrio certo entre as expectativas de nossos clientes e a nossa meta de ganhos, garantindo investimentos contínuos em tecnologias futuras”, acrescentou.

“Em um ambiente de mercado fraco e volátil, demonstramos estabilidade e perseverança em nosso desempenho”, disse o CFO da ZF, Konstantin Sauer.

“Os desafios não vão diminuir no 2º semestre, mas estamos confiantes de que continuaremos no caminho certo, por meio de conscientização de custos, mitigação consistente e contínua dos efeitos inflacionários e gestão ativa de nossos estoques”, comentou.

À luz dos desenvolvimentos até o momento e das perspectivas para os próximos meses, a ZF mantém sua perspectiva para o ano, que permanece inalterada.

A empresa espera um crescimento moderado nas vendas em 2022, com um volume superior a € 40 bilhões pela primeira vez.

A ZF prevê ainda uma margem EBIT ajustada na faixa de 4,5% a 5,5% e fluxo de caixa livre ajustado entre € 1 bilhão e € 1,5 bilhão.

No entanto, a perspectiva vem com uma ressalva, pois a ZF espera influências negativas contínuas de problemas em andamento (como inflação, guerra na Ucrânia, disponibilidade limitada de semicondutores e novos surtos da pandemia de Covid-19).

Possíveis paralisações no fornecimento de gás na Alemanha e na Europa também podem impactar os negócios no segundo semestre.

“Estamos reforçando as medidas já em vigor para reduzir ainda mais nosso consumo de energia, conforme refletido em nossa estratégia de sustentabilidade”, acentuou o CEO.