P U B L I C I D A D E

ABRIR
FECHAR

P U B L I C I D A D E

ABRIR
FECHAR
RESULTADOS
Voltar

Receitas da Cummins chegam a US$ 6,6 bilhões no 2º trimestre 

No período, o lucro líquido da empresa bateu US$ 702 milhões, ou 10,7% das vendas

Assessoria de Imprensa

04/08/2022 08h12 | Atualizada em 04/08/2022 08h21

A Cummins Inc. informou ontem (3) os resultados do 2º trimestre, que apontam receitas de US$ 6,6 bilhões, em um aumento de 8% em relação ao mesmo período de 2021.

As vendas na América do Norte aumentaram 15%, enquanto as receitas internacionais diminuíram 2%, afetadas principalmente pela desaceleração na China e pela suspensão das operações da empresa na Rússia.

O lucro líquido no 2º trimestre foi de US$ 702 milhões (US$ 4,94 por ação), comparado aos US$ 600 milhões (US$ 4,10 por ação) obtidos em 2021.

Já o EBITDA chegou a US$ 1,1 bilhão (16% das vendas), comparado a US$ 974 milhões (15,9% das vendas) um ano atrás.

"A empresa alcançou receitas recordes e rentabilidade sólida no 2º trimestre, com a demanda por nossos produtos permanecendo forte na maioria de nossos principais mercados e regiões, além da China", diz a presidente e CEO, Jennifer Rumsey, que no dia 1º de agosto assumiu a posição de diretora executiva, tornando-se a primeira mulher a ocupar o cargo na história da empresa.

&qu

...

A Cummins Inc. informou ontem (3) os resultados do 2º trimestre, que apontam receitas de US$ 6,6 bilhões, em um aumento de 8% em relação ao mesmo período de 2021.

As vendas na América do Norte aumentaram 15%, enquanto as receitas internacionais diminuíram 2%, afetadas principalmente pela desaceleração na China e pela suspensão das operações da empresa na Rússia.

O lucro líquido no 2º trimestre foi de US$ 702 milhões (US$ 4,94 por ação), comparado aos US$ 600 milhões (US$ 4,10 por ação) obtidos em 2021.

Já o EBITDA chegou a US$ 1,1 bilhão (16% das vendas), comparado a US$ 974 milhões (15,9% das vendas) um ano atrás.

"A empresa alcançou receitas recordes e rentabilidade sólida no 2º trimestre, com a demanda por nossos produtos permanecendo forte na maioria de nossos principais mercados e regiões, além da China", diz a presidente e CEO, Jennifer Rumsey, que no dia 1º de agosto assumiu a posição de diretora executiva, tornando-se a primeira mulher a ocupar o cargo na história da empresa.

"A alta inflação e o aumento das taxas de juros globais aumentaram a incerteza sobre o ritmo de crescimento da economia global", ela ressalta.

Os resultados do trimestre incluem custos de US$ 29 milhões relacionados à separação do negócio de filtração, além de ajustes de reservas da ordem de US$ 47 milhões relacionados à suspensão das operações na Rússia.

Com base na previsão atual, a Cummins mantém sua projeção para o ano, esperando que a receita suba 8% e o EBITDA seja de aproximadamente 15,5%.

“A demanda por produtos e serviços continua forte e, como resultado, mantivemos nossa projeção de receitas e lucratividade de três meses atrás", acrescenta a executiva.

Dentre os destaques do 2º trimestre, a fabricante cita as aquisições da Jacobs Vehicle Systems (JVS) e da Meritor, em abril e maio, respectivamente.

No período, a Cummins anunciou ainda parcerias com a Daimler Truck North America e a Scania para a entrega de propulsores de célula a combustível voltadas a aplicações em caminhões pesados, assim como a colaboração com a Komatsu para o desenvolvimento de equipamentos de transporte com zero emissões, incluindo soluções de célula a combustível de hidrogênio para grandes aplicações em caminhões OTR de mineração.

Além disso, a empresa também está trabalhando com a Chevron para integrar o motor a gás natural Cummins X15N à frota de caminhões pesados da Walmart nos EUA.