P U B L I C I D A D E

ABRIR
FECHAR
CENÁRIO
Voltar

Mercado para locadoras está atraente, mas gestão ainda é um problema

Diretor da Sisloc constata que, embora o crescimento substancial da locação de equipamentos seja uma realidade, muitas empresas enfrentam problemas de gestão

Assessoria de Imprensa

10/11/2023 11h43 | Atualizada em 13/11/2023 12h59

A economia brasileira tem sinalizado boa perspectiva para a construção civil. Segundo dados atualizados no mês de setembro pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), o PIB tem previsão de crescimento de 3,3% para este ano, o IPCA deve ficar próximo de 4,8%, fatores que somados à tendência de redução da taxa de juros pelo Banco Central deixam o empresariado confiante.

Nessa atual conjuntura, o setor de locação de equipamentos em todo o Brasil tem apresentado um desempenho exponencial e se revelado como uma tendência que chegou para ficar no cotidiano do brasileiro.

Desde equipamentos manuais e compactos, como furadeiras, serras, marteletes, passando por plataformas de trabalho aéreo, andaimes e grupos geradores, até os mais pesados, como caminhões, guindastes e escavadeiras são altamente procurados nas locadoras por construtoras, mineradoras, empreiteiras, indústrias de diferentes setores e por pessoas que fazem reformas residenciais.

Tal fato ocorre porque o aluguel possibilita maior eficiência operacional, redução de custos e flexibilidade nas operações.

“H

...

A economia brasileira tem sinalizado boa perspectiva para a construção civil. Segundo dados atualizados no mês de setembro pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), o PIB tem previsão de crescimento de 3,3% para este ano, o IPCA deve ficar próximo de 4,8%, fatores que somados à tendência de redução da taxa de juros pelo Banco Central deixam o empresariado confiante.

Nessa atual conjuntura, o setor de locação de equipamentos em todo o Brasil tem apresentado um desempenho exponencial e se revelado como uma tendência que chegou para ficar no cotidiano do brasileiro.

Desde equipamentos manuais e compactos, como furadeiras, serras, marteletes, passando por plataformas de trabalho aéreo, andaimes e grupos geradores, até os mais pesados, como caminhões, guindastes e escavadeiras são altamente procurados nas locadoras por construtoras, mineradoras, empreiteiras, indústrias de diferentes setores e por pessoas que fazem reformas residenciais.

Tal fato ocorre porque o aluguel possibilita maior eficiência operacional, redução de custos e flexibilidade nas operações.

“Hoje as pessoas entendem que a locação atende a necessidades peculiares de cada obra, oferecendo soluções completas, e principalmente que as empresas e órgãos públicos não precisam comprometer capital com financiamento de máquina, mas sim com os projetos de engenharia que executam”, observa Leônidas Ferreira, conhecido como Leo Sisloc, diretor executivo da Sisloc Softwares de Gestão.

Essa constatação de Leo se baseia em sua experiência pessoal e profissional. Semanalmente, ele cumpre uma rotina de visitas presenciais a locadoras de vários estados brasileiros, de diferentes portes e especialidades, e tem acompanhado um crescimento contínuo tanto na quantidade de novas empresas de aluguel como na estrutura e demanda por máquinas.

As visitas de campo possibilitam que o diretor da Sisloc compartilhe experiências, dissemine informações, tendências, identifique necessidades e auxilie as empresas no suporte de gestão específica para o aluguel de equipamentos.
“O crescimento substancial dessa atividade é uma realidade, mas alguns problemas ainda persistem e podem encurtar o bom momento para muitas empresas. Queremos evitar que isso aconteça”, diz.

Segundo Leo, entre as principais deficiências identificadas estão a falta de preparo de gestores e a necessidade premente de formar profissionais habilitados internamente para trabalhar com locação.

“Hoje, as empresas contam com lideranças mais jovens, dispostas a fazer networking e a entender melhor de gestão. A Sisloc está investindo em inovação, acompanhando as tendências do mercado global para difundir em todas as regiões brasileiras, com foco contínuo nos pilares de gestão, mercado de atuação e grupos de equipamentos”, conta Leo.

Cenário – De acordo com números obtidos junto à Receita Federal pela Analoc (Associação Brasileira dos Sindicatos e Associações Representantes dos Locadores de Equipamentos, Máquinas e Ferramentas), o setor de locação conta com aproximadamente 40.100 empresas no Brasil, que movimentam R$ 28 bilhões em negócios.

Em mais de 80%, o setor é formado por micro e pequenas empresas, e microempreendedores individuais (MEI). Quando o mercado está mais comprador, mais empresas surgem, ou seja, tudo está interligado ao sucesso da economia.

Para atender às necessidades de gestão nesse universo de empresas, afirma o executivo, a Sisloc fornece atualmente o software para empresas de locação mais vendido no Brasil, presente em mais de 900 locadoras por todo o território nacional. O sistema é completo e proporciona o controle de todos os processos em um único lugar.

“Nosso atendimento é totalmente personalizado, fazemos questão de acompanhar cada um dos clientes, entendendo as necessidades e ajudando-os a crescer cada vez mais”, destaca Leo.

P U B L I C I D A D E

ABRIR
FECHAR

P U B L I C I D A D E

P U B L I C I D A D E