ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
RESULTADOS
Voltar

Desempenho de abril melhora indicadores da indústria automobilística

Números confirmaram as expectativas de uma reação no 2º trimestre, mas setor de caminhões não acompanha

Anfavea

10/05/2022 17h10 | Atualizada em 10/05/2022 20h13

Com destaque para a média diária de vendas e as exportações, todos os índices aferidos pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA) melhoraram no último mês, a despeito dos feriados de Páscoa e Tiradentes.

Apesar de várias paradas de fábrica por conta da falta de semicondutores, a produção em abril foi de 185,4 mil unidades, 0,4% a mais que no mês anterior.

Na comparação com abril de 2021, todavia, houve queda de -2,9%. No acumulado do ano, o recuo é de -13,6% frente ao 1º quadrimestre do ano passado.

As vendas também tiveram boa reação, com média diária de 7.750 unidades em abril (a melhor desde dezembro), contra as 6.991 unidades/dia de março.

No total, 147,2 mil unidades foram licenciadas, leve alta de 0,3% sobre março e baixa de 15,9% sobre o mesmo mês de 2021.

Na comparação de quadrimestres, a queda deste ano está em -21,4%, lembrando que no início do ano passado quase não havia restrição de oferta por conta de semicondutores.

Os números mai...


Com destaque para a média diária de vendas e as exportações, todos os índices aferidos pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA) melhoraram no último mês, a despeito dos feriados de Páscoa e Tiradentes.

Apesar de várias paradas de fábrica por conta da falta de semicondutores, a produção em abril foi de 185,4 mil unidades, 0,4% a mais que no mês anterior.

Na comparação com abril de 2021, todavia, houve queda de -2,9%. No acumulado do ano, o recuo é de -13,6% frente ao 1º quadrimestre do ano passado.

As vendas também tiveram boa reação, com média diária de 7.750 unidades em abril (a melhor desde dezembro), contra as 6.991 unidades/dia de março.

No total, 147,2 mil unidades foram licenciadas, leve alta de 0,3% sobre março e baixa de 15,9% sobre o mesmo mês de 2021.

Na comparação de quadrimestres, a queda deste ano está em -21,4%, lembrando que no início do ano passado quase não havia restrição de oferta por conta de semicondutores.

Os números mais animadores para a indústria são os de exportações, que já acumulam alta de 17,9% sobre o primeiro terço de 2021, com um total de 153 mil unidades embarcadas ao exterior.

Foram 44,8 mil unidades em abril, crescimento de 15,2% sobre março e de 32,3% sobre abril do ano anterior. Trata-se do melhor resultado para o quadrimestre desde 2018.

Em caminhões, especificamente, os licenciamentos tiveram variação mensal de -6,7% entre março e abril (de 10,1 mil para 9,4 mil unidades), enquanto a produção retraiu -29,9% no período (de 13,5 mil para 9,5 mil unidades).

Na comparação ano a ano, as quedas em abril foram de -4,1% em licenciamentos e de -27,7% na produção.

“Poderíamos ter resultados de vendas ainda melhores se não fosse a persistente limitação de oferta provocada pela crise dos semicondutores”, explicou Márcio de Lima Leite, Presidente da ANFAVEA.

“Apesar da inflação e da alta dos juros, ainda identificamos uma demanda reprimida de clientes particulares e sobretudo de locadoras, e os bons números de venda deste início de maio são indicadores dessa tendência. Esperamos que a situação da oferta comece a melhorar em meados do ano”, acrescentou.