P U B L I C I D A D E

ABRIR
FECHAR

P U B L I C I D A D E

ABRIR
FECHAR
Revista M&T - Ed.283 - Maio 2024
Voltar
TECNOLOGIA

A pegada ecológica em plantas de britagem

A partir da análise de diferentes conceitos de acionamento, especialista repassa as soluções tecnológicas que estão ganhando espaço em plantas de britagem e peneiramento

Integrante do Grupo Wirtgen, a marca Kleemann vem apostando em diferentes conceitos de acionamento para plantas de britagem e peneiramento que, dependendo da tarefa, oferecem a melhor solução para cada necessidade.

Segundo a empresa, enquanto os acionamentos elétricos apresentam resultados melhores em termos de balanço de CO2, algumas situações exigem um sistema de acionamento direto (mecânico) para economizar combustível, constituindo uma opção mais adequada.

Por esse motivo, a marca desenvolve projetos distintos para seus equipamentos, com os acionamentos E-Drive, D-Drive e H-Drive representando respectivamente as variantes diesel-elétrica, diesel-direta e diesel-hidráulica no portfólio de soluções da empresa.

Por trás dessa estratégia, a Kleemann parte do princípio que a decisão de escolha pela solução mais eficiente em termos de sustentabilidade depende de múltiplos fatores, como a disponibilidade de alimentação elétrica no local da operação, por exemplo.

Também é necessário avaliar se os equipamentos são usados em ambientes urbanos, considerando ainda as normas locais de proteção ao meio ambiente.

CONCEITOS

Por definição, o conceito E-Drive oferece opções de acionamento a diesel ou totalmente elétrico. Evidentemente, o acionamento completamente elétrico é o mais ecológico, pois elimina por completo as emissões de CO2 na operação.

Porém, o pré-requisito para isso é contar com uma boa infraestrutura de energia, como frequentemente ocorre em pedreiras e grandes centros de reciclagem.

Se não houver alimentação elétrica disponível, ou se essa fonte for insuficiente, é possível trabalhar com o conceito diesel-elétrico, especialmente quando for necessário mover a planta ao longo da pedreira.

Nesse caso, a alimentação elét


Integrante do Grupo Wirtgen, a marca Kleemann vem apostando em diferentes conceitos de acionamento para plantas de britagem e peneiramento que, dependendo da tarefa, oferecem a melhor solução para cada necessidade.

Segundo a empresa, enquanto os acionamentos elétricos apresentam resultados melhores em termos de balanço de CO2, algumas situações exigem um sistema de acionamento direto (mecânico) para economizar combustível, constituindo uma opção mais adequada.

Por esse motivo, a marca desenvolve projetos distintos para seus equipamentos, com os acionamentos E-Drive, D-Drive e H-Drive representando respectivamente as variantes diesel-elétrica, diesel-direta e diesel-hidráulica no portfólio de soluções da empresa.

Por trás dessa estratégia, a Kleemann parte do princípio que a decisão de escolha pela solução mais eficiente em termos de sustentabilidade depende de múltiplos fatores, como a disponibilidade de alimentação elétrica no local da operação, por exemplo.

Também é necessário avaliar se os equipamentos são usados em ambientes urbanos, considerando ainda as normas locais de proteção ao meio ambiente.

CONCEITOS

Por definição, o conceito E-Drive oferece opções de acionamento a diesel ou totalmente elétrico. Evidentemente, o acionamento completamente elétrico é o mais ecológico, pois elimina por completo as emissões de CO2 na operação.

Porém, o pré-requisito para isso é contar com uma boa infraestrutura de energia, como frequentemente ocorre em pedreiras e grandes centros de reciclagem.

Se não houver alimentação elétrica disponível, ou se essa fonte for insuficiente, é possível trabalhar com o conceito diesel-elétrico, especialmente quando for necessário mover a planta ao longo da pedreira.

Nesse caso, a alimentação elétrica através de cabos geralmente é muito complexa ou até mesmo impossível.

Assim, a potência deve ser fornecida por um motor a diesel de baixo consumo, enquanto o britador e o sistema de correias transportadoras continuam sendo acionados eletricamente por meio de geradores.

Dependendo da situação, o acionamento E-Drive oferece essa flexibilidade.


Flexibilidade no sistema de acionamento
é essencial para operações de britagem e peneiramento

Por sua vez, o acionamento a diesel D-Drive fornece força diretamente do motor para o britador.

Nos últimos anos, o consumo de combustível foi bastante otimizado, de modo que o acionamento mecânico a diesel traz vantagens em termos de produtividade e eficiência.

Com design compacto e opções avançadas de transporte, as plantas equipadas com essa tecnologia podem ser posicionadas em qualquer local da obra.

Ou seja, se no longo prazo não for possível usar o acionamento totalmente elétrico, o D-Drive se apresenta como uma solução viável, considerando sempre a necessidade de flexibilidade operacional.

É o caso de trabalhos de demolição e preparação de áreas urbanas, mas também de construção de estradas, quando as máquinas se deslocam conforme o progresso da operação.

Já o conceito H-Drive pode ser utilizado especialmente em plantas móveis de peneiramento, que se beneficiam do uso do acionamento diesel-hidráulico.

Aqui, as bombas hidráulicas operam todos os componentes do sistema, incluindo peneiras, correias e mecanismos de translação.

As necessidades de potência das peneiras são muito menores que as do britador e, portanto, é razoável supor que o consumo de combustível durante a operação será igualmente mais reduzido.

Adicionalmente, o sistema opcional start/stop (desligamento automático nas paradas) também permite diminuir o consumo.

Nas soluções de peneiramento da Kleemann, especificamente, as plantas equipadas com Dual Power permitem alimentar as máquinas de modo totalmente elétrico.

Se houver conexão à rede elétrica disponível, a planta trabalha totalmente sem emissões, o que é uma enorme vantagem em áreas ecologicamente sensíveis e com normas rigorosas de proteção, por exemplo.

AVALIAÇÃO

Como se vê, no domínio da sustentabilidade há muitos fatores que devem ser considerados. A pegada ecológica da produção também é influenciada pela energia demandada na produção, assim como pelas etapas de transporte, armazenamento e manuseio do material, incluindo o descarte de resíduos.

Gráfico mostra diferentes conceitos de acionamento,
que levam em consideração a disponibilidade de fontes de energia

Em termos de emissões de CO2, certamente uma planta de acionamento totalmente elétrico é a primeira escolha para a operação.

Em outros casos, no entanto, faz todo o sentido avaliar se uma alimentação através de linha elétrica externa e alta demanda de equipamentos e material é realmente mais eficaz do que uma tecnologia com baixo consumo de combustível.

Afinal, ecologia também pode significar uma aposta no uso reduzido de material e na durabilidade mais longa dos ativos.

Saiba mais:
Kleemann:
www.wirtgen-group.com/ocs/en-us/kleemann

P U B L I C I D A D E

ABRIR
FECHAR

P U B L I C I D A D E

P U B L I C I D A D E