FECHAR
FECHAR
13 de junho de 2011
Voltar
Segurança

Conheça os pontos cegos de sua máquina

Estudo de entidades norte-americanas da área de segurança no trabalho identifica as deficiências de visibilidade na operação de diferentes tipos de equipamentos

Todos os anos, centenas de trabalhadores da construção morrem ou sofrem ferimentos em acidentes envolvendo equipamentos nos Estados Unidos. Na maior parte das vezes, essas ocorrências se devem à má condição de visibilidade do operador da máquina a partir do ponto em que fica instalado na cabine.

Pensando nisso, o Instituto Americano de Saúde e Segurança Ocupacional (NIOSH), em parceria com o Departamento de Saúde do país (DHHS), desenvolveu um estudo sobre os pontos cegos dos principais tipos de equipamentos em operação na América do Norte. O objetivo é estabelecer uma referência para os operadores e demais  trabalhadores das obras com foco na maior segurança das operações nesse ambiente.

Os diagramas apresentados a seguir, adaptados do estudo original com permissão da NIOSH, apresentam as zonas de visão obstruída de objetos com altura de 1,50 m acima do solo, ou seja, a altura aproximada de um trabalhador a partir do ponto de vista do operador na cabine das máquinas. Evidentemente, objetos de menor altura – como dispositivos de sinalização ou operadores inclinados – geraram áreas cegas ainda maiores.

Além disso, o estudo se baseia em modelos de equipamentos disponíveis nos Estados Unidos. Portanto, ele pode sofrer algumas mudanças em outros países, devido a características próprias das máquinas comercializadas nesses mercados ou a inovações incorporadas pelos fabricantes em termos de ergonomia e visibilidade na cabine de seus equipamentos. Informações mais detalhadas podem ser obtidas no site www.cdc.gov/niosh/topics/highwayworkzones.


Todos os anos, centenas de trabalhadores da construção morrem ou sofrem ferimentos em acidentes envolvendo equipamentos nos Estados Unidos. Na maior parte das vezes, essas ocorrências se devem à má condição de visibilidade do operador da máquina a partir do ponto em que fica instalado na cabine.

Pensando nisso, o Instituto Americano de Saúde e Segurança Ocupacional (NIOSH), em parceria com o Departamento de Saúde do país (DHHS), desenvolveu um estudo sobre os pontos cegos dos principais tipos de equipamentos em operação na América do Norte. O objetivo é estabelecer uma referência para os operadores e demais  trabalhadores das obras com foco na maior segurança das operações nesse ambiente.

Os diagramas apresentados a seguir, adaptados do estudo original com permissão da NIOSH, apresentam as zonas de visão obstruída de objetos com altura de 1,50 m acima do solo, ou seja, a altura aproximada de um trabalhador a partir do ponto de vista do operador na cabine das máquinas. Evidentemente, objetos de menor altura – como dispositivos de sinalização ou operadores inclinados – geraram áreas cegas ainda maiores.

Além disso, o estudo se baseia em modelos de equipamentos disponíveis nos Estados Unidos. Portanto, ele pode sofrer algumas mudanças em outros países, devido a características próprias das máquinas comercializadas nesses mercados ou a inovações incorporadas pelos fabricantes em termos de ergonomia e visibilidade na cabine de seus equipamentos. Informações mais detalhadas podem ser obtidas no site www.cdc.gov/niosh/topics/highwayworkzones.