FECHAR
27 de abril de 2021
Voltar

Setor de feiras em Ribeirão Preto enfrenta incerteza

Agendados para o primeiro semestre, Agrishow, rodeio e festival podem não acontecer pelo segundo ano consecutivo. Sem turistas, efeito é sentido na rede hoteleira e nos restaurantes
Fonte: G1

Setor de eventos tem prejuízos com a pandemia da Covid-19 em Ribeirão Preto, SP. Passado mais de um ano desde o início da pandemia, setores de turismo e eventos têm registrado prejuízos econômicos em Ribeirão Preto (SP).

A cidade, sede da maior feira agrícola da América Latina, caminha em direção a mais um provável adiamento do evento.

Segundo o presidente da Agrishow, Francisco Matturro, o evento, normalmente realizado no fim de abril, já havia sido remarcado para o fim de junho, mas pode ser cancelado pelo segundo ano consecutivo. Em 2019, 159 mil visitantes passaram pela feira a céu aberto.

"Agora nós estamos em uma indefinição, pensando em realmente adiar novamente a feira. Até porque temos o decreto municipal e estadual que impede qualquer tipo de aglomeração, e a Agrishow é aglomeração", afirma.

Ainda de acordo com Maturro, o cancelamento da feira que movimentou R$ 3 bilhões em negócios na última edição, representa prejuízo não só para o país, mas para o agronegócio como um todo. A expectativa é investir no evento virtual, para tentar reduzir os danos.

"Estamos estruturando uma plataforma muito robusta para que a gente possa na próxima edição, n&atild...


Setor de eventos tem prejuízos com a pandemia da Covid-19 em Ribeirão Preto, SP. Passado mais de um ano desde o início da pandemia, setores de turismo e eventos têm registrado prejuízos econômicos em Ribeirão Preto (SP).

A cidade, sede da maior feira agrícola da América Latina, caminha em direção a mais um provável adiamento do evento.

Segundo o presidente da Agrishow, Francisco Matturro, o evento, normalmente realizado no fim de abril, já havia sido remarcado para o fim de junho, mas pode ser cancelado pelo segundo ano consecutivo. Em 2019, 159 mil visitantes passaram pela feira a céu aberto.

"Agora nós estamos em uma indefinição, pensando em realmente adiar novamente a feira. Até porque temos o decreto municipal e estadual que impede qualquer tipo de aglomeração, e a Agrishow é aglomeração", afirma.

Ainda de acordo com Maturro, o cancelamento da feira que movimentou R$ 3 bilhões em negócios na última edição, representa prejuízo não só para o país, mas para o agronegócio como um todo. A expectativa é investir no evento virtual, para tentar reduzir os danos.

"Estamos estruturando uma plataforma muito robusta para que a gente possa na próxima edição, não importa a data que seja, que ela seja uma feira presencial e virtual. Uma feira só presencial não vai mais poder existir, porque o virtual avançou bastante, vamos ter uma feira híbrida", diz.