P U B L I C I D A D E

ABRIR
FECHAR

P U B L I C I D A D E

ABRIR
FECHAR
RESULTADOS
Voltar

Receitas da Manitou avançam 9% no 1º semestre

Fabricante francesa obteve receita acima de € 1 bilhão nos seis primeiros meses do ano

Assessoria de Imprensa

29/07/2022 11h22 | Atualizada em 31/07/2022 15h22

Os resultados divulgados na semana passada pelo Grupo Manitou apontam receita operacional de € 1,05 bilhão (+9%) na primeira metade do ano.

A receita operacional no semestre somou € 45,8 milhões (4,3%), contra € 85 milhões (8,8%) obtidos ao final do semestre inicial em 2021, que marcou o nível mais alto registrado pela fabricante neste indicador desde 2008.

Por sua vez, o lucro líquido no semestre foi de € 29,3 milhões, contra € 64,2 milhões em igual período do ano passado, com EBITDA ajustado de € 68,2 milhões (6,5%), contra € 109,6 milhões (11,3%) na mesma comparação.

No 2º trimestre, as encomendas de equipamentos da empresa chegaram a € 791 milhões, contra € 858 milhões em igual período do ano passado.

No mesmo período, a carteira de pedidos chegou a € 3,5 bilhões, contra € 1,7 bilhão ao final do 2º trimestre de 2021.

“A cadeia de fornecimento continua sendo perturbada por problemas de capacidade, disponibilidade e expedição, o que encoraja os clientes a assegurar seus fornecimentos futuros”, comenta Michel Deni

...

Os resultados divulgados na semana passada pelo Grupo Manitou apontam receita operacional de € 1,05 bilhão (+9%) na primeira metade do ano.

A receita operacional no semestre somou € 45,8 milhões (4,3%), contra € 85 milhões (8,8%) obtidos ao final do semestre inicial em 2021, que marcou o nível mais alto registrado pela fabricante neste indicador desde 2008.

Por sua vez, o lucro líquido no semestre foi de € 29,3 milhões, contra € 64,2 milhões em igual período do ano passado, com EBITDA ajustado de € 68,2 milhões (6,5%), contra € 109,6 milhões (11,3%) na mesma comparação.

No 2º trimestre, as encomendas de equipamentos da empresa chegaram a € 791 milhões, contra € 858 milhões em igual período do ano passado.

No mesmo período, a carteira de pedidos chegou a € 3,5 bilhões, contra € 1,7 bilhão ao final do 2º trimestre de 2021.

“A cadeia de fornecimento continua sendo perturbada por problemas de capacidade, disponibilidade e expedição, o que encoraja os clientes a assegurar seus fornecimentos futuros”, comenta Michel Denis, diretor geral da Manitou.

O executivo avalia que a súbita aceleração da inflação, particularmente do aço, tem levado a uma significativa deterioração das margens.

“As medidas implementadas para lidar com essa situação estão surtindo efeito, mas ainda gradualmente, dada a dimensão da nossa carteira de pedidos”, diz ele.

Com forte aceleração na produção e nas entregas no 2º trimestre, o Grupo mantém as expectativas de que as receitas aumentem mais de 20% no ano em comparação a 2021, mas evita traçar projeções anuais mais amplas.

“Nesse momento, as incertezas quanto à inflação de matérias-primas e o contexto econômico de modo geral não nos permitem antecipar nossa margem operacional para o ano fiscal de 2022", conclui Denis.