FECHAR
06 de julho de 2021
Voltar

Mercado de caminhões deve superar 116,4 mil unidades este ano

No caso dos pesados, Fenabrave revisou projeções para cima. Alta é estimada em 30,5%, ante os 21,7% de antes
Fonte: Auto Indústria

Ao contrário dos automóveis e comerciais leves, que tiveram projeção revisada para baixo pela Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores por causa da falta de produtos decorrente da escassez de semicondutores, os segmentos de caminhões, ônibus e implementos rodoviários devem ter vendas ampliadas em 2021 em índice acima do estimado inicialmente para o ano.

Com 58.049 unidades emplacadas no primeiro semestre, das quais 11,1 mil em junho, o mercado de caminhões apresenta evolução de 54,5% em relação ao mesmo período de 2020 e a entidade que representa as concessionárias acredita que volume similar será repetido neste segundo semestre, totalizando mais de 116,4 mil licenciamentos até dezembro.

Se confirmada tal projeção, o crescimento do segmento será da ordem de 30,5%, ante os 21,7% projetados anteriormente.

Essa revisão reflete-se positivamente no segmento de implementos, cujas vendas agora são estimadas em 95.089 unidades, evolução de 41,1% sobre 2020, ante índice de 22,5% estimado anteriormente.

No caso dos ônibus, a aposta da Fenabrave é a de atingir 20.150 emplacamentos, crescimento de 10,6% ante meta anterior de chegar a 8,2%

O presidente da entidade, Alarico Assump&cc...


Ao contrário dos automóveis e comerciais leves, que tiveram projeção revisada para baixo pela Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores por causa da falta de produtos decorrente da escassez de semicondutores, os segmentos de caminhões, ônibus e implementos rodoviários devem ter vendas ampliadas em 2021 em índice acima do estimado inicialmente para o ano.

Com 58.049 unidades emplacadas no primeiro semestre, das quais 11,1 mil em junho, o mercado de caminhões apresenta evolução de 54,5% em relação ao mesmo período de 2020 e a entidade que representa as concessionárias acredita que volume similar será repetido neste segundo semestre, totalizando mais de 116,4 mil licenciamentos até dezembro.

Se confirmada tal projeção, o crescimento do segmento será da ordem de 30,5%, ante os 21,7% projetados anteriormente.

Essa revisão reflete-se positivamente no segmento de implementos, cujas vendas agora são estimadas em 95.089 unidades, evolução de 41,1% sobre 2020, ante índice de 22,5% estimado anteriormente.

No caso dos ônibus, a aposta da Fenabrave é a de atingir 20.150 emplacamentos, crescimento de 10,6% ante meta anterior de chegar a 8,2%

O presidente da entidade, Alarico Assumpção Júnior, diz que os segmentos ligados aos pesados estão sendo menos afetados pela falta de componentes e que os problemas na produção estão sendo, aos poucos, regularizados, o que já não ocorre nos veículos leves.

Além disso, a procura por caminhões e implementos vêm num crescendo nos últimos meses por conta do bom momento do agronegócio e da previsão de um PIB este ano maior do que projetado pelo mercado anteriormente.

Segundo ele, no segmento de caminhões já há pedidos para entregas em 2022.