ABRIR
FECHAR
14 de setembro de 2021
Voltar

Iveco tem 36 mil caminhões a gás rodando no mundo

Os caminhões a gás da Iveco são uma opção para a redução das emissões de poluentes nas operações de transporte e devem chegar ao Brasil em breve
Fonte: Estradão

A Iveco aposta alto nos caminhões a gás. Segundo a empresa, já há cerca de 36 mil caminhões com essa tecnologia rodando no mundo todo. Boa parte está na Europa.

Porém, a marca italiana também aposta em mercados com Chile e Argentina. Assim, está organizando testes para clientes que queiram avaliar os caminhões movidos a GNV.

Nesse sentido, a transportadora argentina Domingo Bisio vem testando um caminhão Hi-Road da linha Natural Power. A frota da empresa de Santa Fé só tem modelos da Iveco. Segundo o gerente geral da empresa, Juan Bisio, “o modelo a gás não deixou nada a desejar na comparação com o a diesel”.

A companhia atua no transporte de bobinas de aço. Segundo a empresa, os caminhões rodam um percurso de cerca de 380 km. Porém, retornam vazios para o pátio. Bisio diz que a avaliação ainda está em fase inicial. “Mas posso dizer que a experiência está sendo totalmente satisfatória”, diz.

Na Espanha, a transportadora ESP Solutions também escolheu os caminhões a gás da Iveco. Com isso, vai reduzir os níveis de emissões de suas operações. Dessa forma, adquiriu 300 unidades do caminhão S-Way Natural Power.

Trata-se do maior negócio do tipo envolvendo uma...


A Iveco aposta alto nos caminhões a gás. Segundo a empresa, já há cerca de 36 mil caminhões com essa tecnologia rodando no mundo todo. Boa parte está na Europa.

Porém, a marca italiana também aposta em mercados com Chile e Argentina. Assim, está organizando testes para clientes que queiram avaliar os caminhões movidos a GNV.

Nesse sentido, a transportadora argentina Domingo Bisio vem testando um caminhão Hi-Road da linha Natural Power. A frota da empresa de Santa Fé só tem modelos da Iveco. Segundo o gerente geral da empresa, Juan Bisio, “o modelo a gás não deixou nada a desejar na comparação com o a diesel”.

A companhia atua no transporte de bobinas de aço. Segundo a empresa, os caminhões rodam um percurso de cerca de 380 km. Porém, retornam vazios para o pátio. Bisio diz que a avaliação ainda está em fase inicial. “Mas posso dizer que a experiência está sendo totalmente satisfatória”, diz.

Na Espanha, a transportadora ESP Solutions também escolheu os caminhões a gás da Iveco. Com isso, vai reduzir os níveis de emissões de suas operações. Dessa forma, adquiriu 300 unidades do caminhão S-Way Natural Power.

Trata-se do maior negócio do tipo envolvendo uma empresa espanhola. Segundo a companhia, a compra representa 30% de sua frota. Até 2022, metade dos caminhões da companhia, que transporta alimentos e medicamentos em toda a Europa, será a gás.

De acordo com a empresa, esse número saltará para 80% em 2027. Com os novos caminhões, a empresa pretende deixar de emitir 2 mil toneladas de CO2 por ano. Ou seja, isso equivale ao plantio de 279 mil árvores. .

De acordo com a Iveco, o S-Way movido a gás natural liquefeito emite 95% menos material particulado que a versão a diesel equivalente. Bem como 90% menos Nox e 15% menos CO2. Conforme a fabricante, o custo operacional pode ser até 50% menor.

Porém, é preciso lembrar que os caminhões a gás são mais caros que os a diesel. Por exemplo, no mercado brasileiro, onde a única opção do tipo é da Scania, os preços são cerca de 30% mais altos. Isso na comparação com modelos equivalentes com motor a diesel.

Na Europa, a Iveco tem três opções de motores a gás, com potências entre 136 cv e 460 cv. Além disso, os caminhões têm peso bruto total (PBT) de 3,5 a 40 toneladas. Ou seja, todas as famílias de caminhões da marca contam com versões a GNV e GNL.

Iveco terá caminhão a gás no Brasil

No Brasil, a Iveco comemora os bons resultados de vendas. Por isso, é grande a expectativa sobre o lançamento de caminhões a gás no país. Segundo a empresa, a nova opção já está em testes. Porém, a empresa não revelou detalhes sobre os modelos.

Segundo o líder da Iveco para a América do Sul, Márcio Querichelli, já há interessados no novo caminhão. Mas a marca optou por lançar a novidade em países vizinhos por causa da infraestrutura mais desenvolvida.

“A gente planeja entrar com todo o portfólio de veículos que temos na Europa”, diz Querichelli.. De acordo com ele, os modelos serão adaptados para o mercado brasileiro. Segundo o executivo, o lançamento depende da infraestrutura e dos incentivos.