ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
TRANSPORTE
Voltar

Inteligência artificial ajuda a diminuir custo com fretes

Prometendo gerar até 5% de economia em cada operação, tecnologias de simulação ganham força no mercado

Assessoria de Imprensa

11/05/2022 07h58

Tamanho e tipo da carga, distância e local do frete, taxas e pedágios e, até mesmo, o elevado preço do combustível são algumas das variáveis que mexem no preço do frete.

Como não podem ser avaliadas individualmente, essa projeção é feita em conjunto, levando em consideração as caraterísticas de cada operação.

A partir do cruzamento de dados via Inteligência Artificial e Big Data (BI), algumas tecnologias que permitem a simulação do frete vêm ganhando força no mercado, levando em conta essas variáveis e outros fatores,

A simulação promete entregar até 5% de economia por operação. Em um exemplo prático, em uma empresa de porte médio, com uma quantidade de 1.500 fretes por mês, a economia chega a 19%.

“Não é simplesmente sair ligando para empresas de transporte de cargas e cotar o preço. Hoje em dia, sem tecnologia, o embarcador vai perder dinheiro”, diz Rodrigo Fávero, CEO da Everlog TMS, plataforma de gerenciamen...


Tamanho e tipo da carga, distância e local do frete, taxas e pedágios e, até mesmo, o elevado preço do combustível são algumas das variáveis que mexem no preço do frete.

Como não podem ser avaliadas individualmente, essa projeção é feita em conjunto, levando em consideração as caraterísticas de cada operação.

A partir do cruzamento de dados via Inteligência Artificial e Big Data (BI), algumas tecnologias que permitem a simulação do frete vêm ganhando força no mercado, levando em conta essas variáveis e outros fatores,

A simulação promete entregar até 5% de economia por operação. Em um exemplo prático, em uma empresa de porte médio, com uma quantidade de 1.500 fretes por mês, a economia chega a 19%.

“Não é simplesmente sair ligando para empresas de transporte de cargas e cotar o preço. Hoje em dia, sem tecnologia, o embarcador vai perder dinheiro”, diz Rodrigo Fávero, CEO da Everlog TMS, plataforma de gerenciamento de transporte em nuvem.

“Se em cada operação, o embarcador economizar um pouco que seja, no balanço final o montante ganho certamente será interessante”, garante.

O executivo explica que existem diferentes tipos de simulação, de acordo com o tamanho, a demanda e o tipo de carga transportada.

A simulação de frete “histórica” traça cenários reais do passado, a partir de um período de filtro e cálculos comparativos entre o cenário real contratado e a simulação de novos modelos de negociação de frete.

“Como resultado, a ordem de seleção do melhor transportador pode considerar o melhor prazo, o menor preço e a performance ideal de entrega”, diz Fávero.

Outro tipo de simulação é a “automática”, que avalia o melhor cenário para o embarque antes mesmo da contratação do transportador ou da emissão da nota.

Nesse tipo, todos os pedidos são enviados automaticamente ao sistema, que devolve de forma instantânea as melhores opções de preço e prazo, garantindo o embarque no melhor cenário para o fracionado.

A simulação de frete da base é feita apoiada em comparativos entre transportadores, com o intuito de otimizar as cargas, gerando inteligência para a tomada de decisão.

“Já na simulação de frete ‘avulsa’ é usada com transportadores que operam com tipos específicos de carga, visando o melhor preço e desempenho”, conta o especialista.