ABRIR
FECHAR
14 de setembro de 2021
Voltar

Expointer movimenta R$ 1,6 bi em negócios

No setor de máquinas e implementos agrícolas, o mais rentável do evento, o volume de negócio bateu R$ 1,42 bilhão
Fonte: Globo Rural

Primeira entre as grandes feiras agrícolas do Brasil a ter programação presencial desde o início da pandemia da Covid-19, a Expointer terminou no domingo (12/9) contabilizando um faturamento de R$ 1,62 bilhão e 66,2 mil visitantes.

O volume de negócios correspondeu a 60,2% do movimentado em 2019 (R$ 2,69 bilhões), ano da última edição antes da pandemia. Segundo os organizadores, ainda houve 56 mil visualizações na plataforma on-line da feira, de 25 diferentes países.

O faturamento no Pavilhão da Agricultura Familiar chegou a R$ 2,82 milhões, valor um pouco mais da metade do faturamento de 2019, apesar de o público visitante ter reduzido seis vezes em relação à feira de dois anos atrás.

No setor de máquinas e implementos agrícolas, o mais rentável do evento, o volume de negócio bateu R$ 1,42 bilhão. O setor automobilístico somou receita de R$ 200,3 milhões, crescimento de 43,6% na comparação com a última Expointer presencial.

Os resultados da 44ª edição, chamada de "feira da retomada" pelos promotores, foi avaliado como positivo. “A nossa Expointer está cumprindo o seu papel de ser uma feira que ultrapassa negócios. Inspirada pela força do agro, a feira mostra o caminho da ...


Primeira entre as grandes feiras agrícolas do Brasil a ter programação presencial desde o início da pandemia da Covid-19, a Expointer terminou no domingo (12/9) contabilizando um faturamento de R$ 1,62 bilhão e 66,2 mil visitantes.

O volume de negócios correspondeu a 60,2% do movimentado em 2019 (R$ 2,69 bilhões), ano da última edição antes da pandemia. Segundo os organizadores, ainda houve 56 mil visualizações na plataforma on-line da feira, de 25 diferentes países.

O faturamento no Pavilhão da Agricultura Familiar chegou a R$ 2,82 milhões, valor um pouco mais da metade do faturamento de 2019, apesar de o público visitante ter reduzido seis vezes em relação à feira de dois anos atrás.

No setor de máquinas e implementos agrícolas, o mais rentável do evento, o volume de negócio bateu R$ 1,42 bilhão. O setor automobilístico somou receita de R$ 200,3 milhões, crescimento de 43,6% na comparação com a última Expointer presencial.

Os resultados da 44ª edição, chamada de "feira da retomada" pelos promotores, foi avaliado como positivo. “A nossa Expointer está cumprindo o seu papel de ser uma feira que ultrapassa negócios. Inspirada pela força do agro, a feira mostra o caminho da retomada econômica, da solidariedade entre as pessoas e da esperança por dias melhores”, destacou a secretária da Agricultura do Rio Grande do Sul, Silvana Covatti.

A secretária da Saúde, Arita Bergmann, avaliou como bem-sucedida a adoção dos protocolos sanitários para prevenir contaminações por Covid-19.Antes da feira, foram realizados 628 testes (RT-PCR e antígeno) em trabalhadores e expositores que chegaram ao parque sem o teste prévio. Desses, 13 foram detectáveis, e as pessoas não puderam acessar o parque.

Durante o evento, foram feitas 198 novas testagens, com cinco detectáveis, que foram imediatamente isolados. "Rastreamos os contactantes desses casos positivos e fizemos dezenas de testes para examinar a cadeia de transmissão, e não houve surto. Foram cinco casos isolados", disse a diretora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), Cynthia Molina Bastos.