FECHAR
08 de junho de 2021
Voltar

Empresas Randon apresentam compromissos públicos de sustentabilidade

Entre as principais metas estão zerar a disposição de resíduos em aterro industrial e duplicar o número de mulheres em cargos de liderança até 2025
Fonte: Assessoria de Imprensa

A certeza de um futuro colaborativo e sustentável foi a base da apresentação dos compromissos públicos com foco em ESG (sigla em inglês para Ambiental, Social e Governança) das Empresas Randon na semana passada, em evento on-line para acionistas, colaboradores, imprensa e comunidade.

“Não existe futuro sem sustentabilidade, sem que se pense nas próximas gerações, no planeta que estamos deixando para nossos filhos e netos, no respeito às pessoas e ao meio ambiente. O ESG é o único caminho para alcançar nossos objetivos e colocar em prática nossos propósitos e nossos princípios”, afirmou o CEO das Empresas Randon, Daniel Randon.

Alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), a companhia desenvolveu sua ambição de sustentabilidade em cinco pilares: condução ética e responsável, excelência e segurança como um valor, compromisso com o meio ambiente, prosperidade para todos, e inovação sustentável.

“Fizemos uma pesquisa para identificar os focos de ESG e chegamos a pilares que reforçam esses objetivos. Temos clareza de onde queremos chegar e consciência do quanto o nosso impacto é e pode ser positivo na vida de milhões de pessoas&rdqu...


A certeza de um futuro colaborativo e sustentável foi a base da apresentação dos compromissos públicos com foco em ESG (sigla em inglês para Ambiental, Social e Governança) das Empresas Randon na semana passada, em evento on-line para acionistas, colaboradores, imprensa e comunidade.

“Não existe futuro sem sustentabilidade, sem que se pense nas próximas gerações, no planeta que estamos deixando para nossos filhos e netos, no respeito às pessoas e ao meio ambiente. O ESG é o único caminho para alcançar nossos objetivos e colocar em prática nossos propósitos e nossos princípios”, afirmou o CEO das Empresas Randon, Daniel Randon.

Alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), a companhia desenvolveu sua ambição de sustentabilidade em cinco pilares: condução ética e responsável, excelência e segurança como um valor, compromisso com o meio ambiente, prosperidade para todos, e inovação sustentável.

“Fizemos uma pesquisa para identificar os focos de ESG e chegamos a pilares que reforçam esses objetivos. Temos clareza de onde queremos chegar e consciência do quanto o nosso impacto é e pode ser positivo na vida de milhões de pessoas”, declarou Daniel Randon.

Para cada pilar, há um conjunto de ações e projetos internos para alcançar os compromissos elencados. Entre as principais metas estão duplicar o número de mulheres em cargos de liderança até 2025; zerar acidentes graves; reduzir 40% da emissão de gases de efeito estufa até 2030; zerar a disposição de resíduos em aterro industrial e o lançamento de efluentes até 2025; e ampliar a receita líquida consolidada anual gerada por novos produtos.

O CFO das Empresas Randon, Paulo Prignolato, falou sobre a governança, a prestação de contas e a evolução constante das políticas de transparência da empresa com todo o mercado.

“Seguimos à risca toda a regulamentação imposta pelos órgãos reguladores e temos o compromisso de uma evolução contínua no sentido de sermos transparentes em relação a tudo o que fazemos”, afirmou.

A preocupação com o meio ambiente foi o foco da fala do COO das Empresas Randon e CEO da Fras-le, Sérgio L. Carvalho, que apresentou a estrutura da empresa dedicada a esse tema, as certificações e as metas bastante agressivas para os próximos anos.

“Elas cobrem todo o ecossistema, mas estamos focados na manutenção e no combate às mudanças climáticas, no desenvolvimento de produtos amigáveis ao meio ambiente, na chamada economia circular e na melhor utilização dos recursos disponíveis”, frisou.

O executivo deu destaque aos R$ 8,6 milhões investidos em gestão ambiental apenas em 2020, à ampliação do reúso de água, aos 65,4% de reciclagem dos resíduos nas operações da empresa e as 1,5 toneladas de materiais recuperados com logística reversa.

Em relação ao compromisso de reduzir 40% da emissão de gases de efeito estufa até 2030, Carvalho afirmou que se dará pela diminuição substancial da utilização de energia – e substituição por solar ou eólica –, redução do uso do GNV e substituição de equipamentos industriais por mais eficientes nas instalações da empresa.

Em relação aos resíduos, 77% já têm destinação sustentável, e os 23% restantes, mais focados na utilização de areia de fundição, devem ser reaproveitados como matéria-prima para confecção de outros materiais.

Na oportunidade, as Empresas Randon e a Fras-le apresentaram seus Relatórios de Sustentabilidade 2020, que seguiram, pelo segundo ano consecutivo, a Global Reporting Initiative (GRI) Standard, melhor prática global voluntária de monitoramento e reporte do desempenho ESG.

Pela primeira vez, a companhia baseia a construção do documento nas diretrizes do Relato Integrado criadas pelo International Integrated Reporting Council (IIRC), com o objetivo de reportar com mais clareza a interligação dos diferentes fatores financeiros e não financeiros e sua relevância à geração de valor do negócio a longo prazo.

Além de apresentar seus compromissos públicos, as Empresas Randon também se tornaram signatárias do Pacto Global da ONU, uma iniciativa proposta para encorajar empresas a adotarem políticas de responsabilidade social corporativa e sustentabilidade.