ABRIR
FECHAR
27 de julho de 2021
Voltar

Construção na América Latina crescerá 9,7% em 2021

Para 2022 espera-se alta de 5,6% na região, 0,5 ponto acima dos 5,1% projetados anteriormente
Fonte: KHL

A GlobalData projeta um crescimento de 9,7% para a indústria da construção latino-americana durante 2021, um aumento de dois pontos em relação à projeção anterior.

Da mesma forma, para 2022 espera-se alta de 5,6% na região, 0,5 ponto acima dos 5,1% projetados anteriormente.

De acordo com levantamento, os melhores números se devem à atividade acima do esperado durante o primeiro trimestre de 2021, especialmente em países como o Brasil.

O relatório da empresa, ‘Global Construction Outlook to 2025 (Q2 2021 Update)’, afirma que para o restante do período de previsão (2023-2025), o crescimento da indústria será moderado para uma média anual de 3,1%. A produção da construção na região deverá retornar ao seu nível pré-pandêmico em 2023.

“A indústria da construção na América Latina começou a se recuperar no segundo semestre de 2020, em grande parte graças ao relaxamento das restrições relacionadas à pandemia, mas ao ressurgimento dos casos da Covid-19 e ao lento início das vacinações contra o vírus (com o exceção do Chile e do Uruguai) apresentam desafios adicionais para as perspectivas de curto prazo da indústria. Por exemplo, a...


A GlobalData projeta um crescimento de 9,7% para a indústria da construção latino-americana durante 2021, um aumento de dois pontos em relação à projeção anterior.

Da mesma forma, para 2022 espera-se alta de 5,6% na região, 0,5 ponto acima dos 5,1% projetados anteriormente.

De acordo com levantamento, os melhores números se devem à atividade acima do esperado durante o primeiro trimestre de 2021, especialmente em países como o Brasil.

O relatório da empresa, ‘Global Construction Outlook to 2025 (Q2 2021 Update)’, afirma que para o restante do período de previsão (2023-2025), o crescimento da indústria será moderado para uma média anual de 3,1%. A produção da construção na região deverá retornar ao seu nível pré-pandêmico em 2023.

“A indústria da construção na América Latina começou a se recuperar no segundo semestre de 2020, em grande parte graças ao relaxamento das restrições relacionadas à pandemia, mas ao ressurgimento dos casos da Covid-19 e ao lento início das vacinações contra o vírus (com o exceção do Chile e do Uruguai) apresentam desafios adicionais para as perspectivas de curto prazo da indústria. Por exemplo, as restrições às viagens e à atividade econômica provavelmente serão mantidas de alguma forma durante o segundo semestre deste ano em alguns países para aliviar a pressão sobre o sistema de saúde ”, acrescenta Dariana Tani, economista da GlobalData.