FECHAR
FECHAR
19 de maio de 2020
Voltar

CENÁRIO

Setor de máquinas agrícolas é impactado pela Covid-19

As fortes retrações refletem o aprofundamento da crise provocada pelo novo Coronavírus
Fonte: Valor Econômico

As vendas de máquinas agrícolas e rodoviárias somaram 2.404 unidades em abril, conforme dados divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Em relação a março, houve queda de 41,8%, ao passo que ante abril de 2019 a retração foi de 23,9%.

Essas fortes retrações refletem o aprofundamento da crise provocada pelo novo Coronavírus. E, por causa das incertezas que a pandemia ainda gera, a entidade evitou fazer projeções sobre o comportamento da comercialização para os próximos meses.

Com a desaceleração observada depois dos sinais de reação vistas em março, nos primeiros quatro meses do ano as vendas somaram 11.864 unidades, em queda de 4,6% na comparação com igual intervalo de 2019.

As exportações, que já estavam fracas antes da pandemia, perderam ainda mais sustentação. Em abril, ficaram em 477 unidades, 51,1% menos que em março e com queda de 62,1% ante abril de 2019. No primeiro quadrimestre foram 2.819 unidades, com redução de 28,5%.

Conforme a Anfavea, a produção também foi muito prejudicada em abril. Em coletiva virtual com jornalistas, o vice-presidente da associação, Alfredo Miguel Neto, lembrou que as fábricas das...


As vendas de máquinas agrícolas e rodoviárias somaram 2.404 unidades em abril, conforme dados divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Em relação a março, houve queda de 41,8%, ao passo que ante abril de 2019 a retração foi de 23,9%.

Essas fortes retrações refletem o aprofundamento da crise provocada pelo novo Coronavírus. E, por causa das incertezas que a pandemia ainda gera, a entidade evitou fazer projeções sobre o comportamento da comercialização para os próximos meses.

Com a desaceleração observada depois dos sinais de reação vistas em março, nos primeiros quatro meses do ano as vendas somaram 11.864 unidades, em queda de 4,6% na comparação com igual intervalo de 2019.

As exportações, que já estavam fracas antes da pandemia, perderam ainda mais sustentação. Em abril, ficaram em 477 unidades, 51,1% menos que em março e com queda de 62,1% ante abril de 2019. No primeiro quadrimestre foram 2.819 unidades, com redução de 28,5%.

Conforme a Anfavea, a produção também foi muito prejudicada em abril. Em coletiva virtual com jornalistas, o vice-presidente da associação, Alfredo Miguel Neto, lembrou que as fábricas das montadoras permaneceram fechadas por cerca de 20 dias no mês, em média, para adequações de medidas de segurança para evitar a disseminação da Covid-19, e que boa parte delas só agora está retomando as operações.

Em abril, contudo, a produção foi reduzida a 1.752 unidades, retração de 59% em relação a março e de 60,3% ante abril do ano passado. No primeiro quadrimestre a queda foi de 20,6%, para 12.099 unidades.