FECHAR
FECHAR
27 de agosto de 2019
Voltar

INOVAÇÃO

Brasil possui tecnologia para proporcionar um pavimento com vida útil de até 30 anos

Reciclagem profunda com emulsões é um dos temas de seminário promovido pela Ingevity
Fonte: Assessoria de Imprensa

De acordo com a 22ª edição da Pesquisa CNT de Rodovias realizada pela Confederação Nacional do Transporte de 2017 a 2018, as condições do pavimento das rodovias representam acréscimo médio do custo operacional do transporte da ordem de 26,7%.

As deficiências impactam a manutenção dos veículos, com maior desgaste de pneus e freios e aumento do consumo de combustível, sem falar ainda na ocorrência de acidentes devido a problemas nas pistas.

Ou seja, se por um lado não se investe na manutenção da vias por falta de recursos, por outro o custo econômico e o impacto social que ele gera para toda a sociedade é três vezes maior.

Essa realidade poderia ser modificada com adoção de tecnologias agregadas aos pavimentos, como a reciclagem de base com emulsão que pode gerar uma nova base do pavimento com elevado desempenho estrutural e grande durabilidade.

Esses processos serão os temas centrais do Seminário de Micro Revestimento a Frio e Reciclagem Profunda com Emulsões, promovido pela Ingevity, no dia 28 de agosto na Paving Expo & Conference, que acontecerá de 27 a 29 de agosto, no Expo Center Norte, na capital paulista.

A Ingevity traz especialistas brasileiros e...


De acordo com a 22ª edição da Pesquisa CNT de Rodovias realizada pela Confederação Nacional do Transporte de 2017 a 2018, as condições do pavimento das rodovias representam acréscimo médio do custo operacional do transporte da ordem de 26,7%.

As deficiências impactam a manutenção dos veículos, com maior desgaste de pneus e freios e aumento do consumo de combustível, sem falar ainda na ocorrência de acidentes devido a problemas nas pistas.

Ou seja, se por um lado não se investe na manutenção da vias por falta de recursos, por outro o custo econômico e o impacto social que ele gera para toda a sociedade é três vezes maior.

Essa realidade poderia ser modificada com adoção de tecnologias agregadas aos pavimentos, como a reciclagem de base com emulsão que pode gerar uma nova base do pavimento com elevado desempenho estrutural e grande durabilidade.

Esses processos serão os temas centrais do Seminário de Micro Revestimento a Frio e Reciclagem Profunda com Emulsões, promovido pela Ingevity, no dia 28 de agosto na Paving Expo & Conference, que acontecerá de 27 a 29 de agosto, no Expo Center Norte, na capital paulista.

A Ingevity traz especialistas brasileiros e internacionais para falar do assunto. São eles Hernando Faria, Tim O´Connell, Dave Welborn, Norman Deubig, Andy Bickford, Jorge Escalante e Rafael Garcia.

O Microrevestimento a frio corresponde a método de manutenção preventiva de pavimentos, utilizado para remediar um amplo quadro de problemas de ruas, rodovias e pistas de aeroportos ao redor do mundo.

Nele utilizam-se agregados minerais, fillers, água e emulsão em sua composição, todos os materiais são adicionados em um misturador na usina móvel de microvestimento e aplicado no pavimento, onde a cura da emulsão é controlada quimicamente de forma que obtêm-se desempenho adequado ao tráfego e condições climática.

Já a Reciclagem Profunda com Emulsões representa uma tecnologia econômica e ambientalmente vantajosa para recuperar pavimentos altamente degradados, utilizando o pavimento existente como matéria-prima.

O revestimento asfáltico e a base (ou somente a base) antigas são fresados, pode-se haver a adição de material virgem para correção granulométrica, e a emulsão é adicionada na etapa de mistura dos materiais.

Após a cura da emulsão, o pavimento obterá uma grande coesão, impermeabilidade, melhor resistência ao tráfego e por consequência maior durabilidade.

Segundo Hernando Faria, gerente de negócios da Ingevity no Brasil, o microrevestimento é uma tecnologia de preservação de pavimentos que pode estender a vida útil de um pavimento em alguns anos, melhorando suas funcionalidades como regularidade superficial, impermeabilidade e atrito, enquanto a reciclagem de base com emulsão pode gerar uma base do pavimento com vida útil de mais de 30 anos se bem dimensionada.

“No Brasil o microrevestimento é uma técnica aplicada há décadas nas rodovias federais, estaduais, municipais e concessões. Já o método da Reciclagem Profunda consiste na estabilização da base com emulsões e é empregado em casos esporádicos”.

“O potencial do mercado no país é sem dúvida muito interessante, pois grande parte das estradas pavimentadas podem receber a aplicação do microrevestimento para aumentar a vida útil do pavimento. E no caso da reciclagem profunda e estabilização de bases com emulsões, todas as estradas não pavimentadas e estradas pavimentadas que necessitam de uma intervenção mais profunda para melhorar as condições estruturais são aptas para aplicação da tecnologia”, comenta Faria.