FECHAR
FECHAR
28 de abril de 2020
Voltar

INFRAESTRUTURA

Ministro Tarcísio Freitas detalha sobre o programa Pró-Brasil

Segundo o Ministro, o Ministério de Infraestrutura continuou funcionando normalmente até o momento, mesmo com as restrições impostas pelo Coronavirus
Fonte: Conexão Empresarial

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, revelou detalhes do projeto Pró-Brasil, programa que o governo pretende lançar para minimizar os efeitos da pandemia da Covid 19, para empresários, autoridades e representantes de vários setores que participaram da primeira live do Conexão Empresarial, evento promovido pela VB Comunicação.

Segundo o ministro, a sua pasta continuou funcionando normalmente até o momento, mesmo com as restrições impostas pelo Coronavirus.

Segundo o Ministro, reuniões, conversas e despachos têm acontecido pela internet, não só internamente, como com outros órgãos do governo, o que tem permitido o avanço de algumas questões, como o dos editais de concessões que devem ser lançados no final do ano.

Além disso, todas as obras e projetos de estruturação continuam, mesmo em ritmo menor, mas sem prejuízo nos cronogramas. Tarcísio Freitas disse que foram entregues durante a crise do Coronavirus 12 obras, inclusive um trecho da BR-381, e realizados 29 leilões, um deles, o do porto pesqueiro no Ceará.

Segundo Freitas, nas conversas que vem mantendo com investidores internacionais, eles demonstram estar interessados nos ativos oferecidos no país. Para avançar com o programa Pró-Brasil, o ministro fala...


O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, revelou detalhes do projeto Pró-Brasil, programa que o governo pretende lançar para minimizar os efeitos da pandemia da Covid 19, para empresários, autoridades e representantes de vários setores que participaram da primeira live do Conexão Empresarial, evento promovido pela VB Comunicação.

Segundo o ministro, a sua pasta continuou funcionando normalmente até o momento, mesmo com as restrições impostas pelo Coronavirus.

Segundo o Ministro, reuniões, conversas e despachos têm acontecido pela internet, não só internamente, como com outros órgãos do governo, o que tem permitido o avanço de algumas questões, como o dos editais de concessões que devem ser lançados no final do ano.

Além disso, todas as obras e projetos de estruturação continuam, mesmo em ritmo menor, mas sem prejuízo nos cronogramas. Tarcísio Freitas disse que foram entregues durante a crise do Coronavirus 12 obras, inclusive um trecho da BR-381, e realizados 29 leilões, um deles, o do porto pesqueiro no Ceará.

Segundo Freitas, nas conversas que vem mantendo com investidores internacionais, eles demonstram estar interessados nos ativos oferecidos no país. Para avançar com o programa Pró-Brasil, o ministro fala da importância da regulação e da simplificação para se ter um bom negócio.

Um dos setores que despertam a atenção dos investidores e que representa um grande déficit no país é o do saneamento, mas é necessário, segundo ele, um marco regulatório para atrair os interessados.

Privatizações e concessões
O governo pretende ter investimentos, entre públicos e privados, da ordem de R$ 250 bilhões para os próximos anos.

Entre as concessões estão 18 mil quilômetros de rodovias, 41 aeroportos, duas privatizações: do porto no Espírito Santo e o porto de Santos, investimentos em ferrovias e uma série de outros projetos que já estão programados, sem malabarismos, segundo o Ministro.

“O governo tem um plano ambicioso no setor ferroviário envolvendo a linha que integra o centro-oeste, a ferrovia norte-sul, o trecho Vitória-Minas e outros ramais em operação, que devem ter substituídos os trilhos para aumentar o número de vagões. São sete ferrovias, que o ministro acredita serem capazes de gerar até um milhão de empregos, junto com os outros programas”, explica.

Rodovia
Conhecida como a “rodovia da morte”, a duplicação da BR-381 foi um dos assuntos debatidos entre os empresários e o ministro Tarcísio Freitas.

Apenas dois dos 9 lotes licitados prosperaram e esta, segundo o próprio ministro, é considerada a obra mais difícil do governo, em andamento.

A começar pelas invasões às margens da BR, pois, são aproximadamente cinco mil famílias para serem removidas, além da topografia e os riscos envolvendo a obra.

Freitas disse que o governo pretende continuar tocando os dois lotes que estão em andamento e concluir os 60 quilômetros previstos e o restante entra no Pró-Brasil e, neste caso, será necessário eliminar os pontos de risco.

Uma das ponderações ao ministro foi a de que é preciso evitar no processo licitatório que uma só empresa compre todos os lotes. Outra preocupação apresentada foi em relação a queda no movimento nos aeroportos, que chegou a 93%.

“Nesse caso, o governo suspendeu o pagamento das outorgas para o final do ano e vai analisar os processos para fazer o abatimento, se necessário.”
Ele lembra que na China o setor está se recuperando rapidamente e a expectativa é de que o mesmo aconteça no Brasil.

Retomada
O governo está pronto para a retomada da economia e assim dar respostas rápidas para os investidores, segundo o ministro da Infraestrutura, que, por quase duas horas respondeu aos questionamentos dos debatedores convidados para a primeira live do Conexão Empresarial, evento promovido pela VB Comunicação.

O diretor da VB, Gustavo César de Oliveira, mediou o debate, que teve como debatedores o presidente da Brasinfra (Associação Brasileira de Sindicatos e Associações de Classe de Infraestrutura) – à qual a Sobratema é associada –, Emir Cadar Filho, que também abordou as propostas para o setor enviadas pela entidade ao governo; o empreendedor e escritor, João Kepler; o presidente da Usiminas, Sérgio Andrade Leite; o presidente da Anglo American, Wilfred Bruijn (Bill); o ex-secretário de Desenvolvimento de Minas Gerais, ex-presidente da Vale e da Usiminas e atual presidente do Conselho Diretor do Ibram, Wilson Brumer; e o presidente do Grupo Mater Dei, Henrique Salvador.