FECHAR
FECHAR
12 de julho de 2010
Voltar
Perfil

“Nossos serviços vão além da simples locação”

Considerada uma das mais tradicionais locadoras de guindaste do Nordeste brasileiro, com três décadas de atuação no mercado, a Saraiva Equipamentos se prepara para disputar contratos nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do País. Segundo Guilherme Saraiva, diretor comercial e de operações da empresa, o objetivo é obter 10% do faturamento nesses novos mercado, até o fim do próximo ano, atingindo a marca de 20% das receitas em 2012.

Para isso, o executivo enfatiza os investimentos na modernização da frota e procura posicionar a empresa não como uma locadora de guindastes, mas como uma prestadora de serviços de movimentação horizontal e vertical de carga. “Há uma diferença muito grande entre esses dois conceitos de operação, pois, como prestadores de serviços, procuramos prover todas as necessidades dos nossos clientes. Assim, quando locamos um guindaste, também oferecemos um leque de serviços, desde a análise de custo e o plano de rigger, até os projeto em CAD e a engenharia de segurança da operação.” Veja, a seguir, as opiniões do executivo que pautam a filosofia de gestão da Saraiva Equipamentos.

M&T – Como estão os negócios para a Saraiva e quais os principais projetos que estão resultando em contratos para a empresa?
Guilherme Saraiva – Nos últimos anos, temos mantido um forte ritmo de crescimento, principalmente em função dos grandes projetos de infraestrutura em implantação na nossa região, especialmente no estado do Pernambuco. O destaque fica para as obras do Complexo Industrial de Suape, onde chegamos a mobilizar uma frota de mais de 140 equipamentos, entre carretas para transportes especiais, guindastes de grande e médio porte, plataformas elevatórias e caminhões guindauto. Também atuamos recentemente no transporte e montagem de equipamentos para usinas eólicas, um segmento no qual estamos investindo e apostando muito.

M&T  – Fale um pouco sobre essa área de atuação.
Saraiva – Trata-se de um segmento novo no Brasil, que demandará muito serviço em função dos 1.600 MW de usinas eólicas licitadas recentemente pelo governo. Algumas dessas usinas têm cerca de 500 MW de capacidade, o que implicará a montagem de aerogeradores e pás de grande porte. Isso requer especialização e foi o que fizemos com a aquisição de carretas especiais para essa área. Com isso, conseguimos operar com maior eficiência e menor custo, oferecendo qualidade e preços competitivos aos clientes. Recentemente, realizamos o transporte de equipamentos para a montagem de uma usina, entre o porto de Suape e o Ceará, envolvendo mais de 280 viagens e nenhuma delas apresentou qualquer incidente ou ocorrência  fora do programado.