FECHAR
FECHAR
19 de março de 2013
Voltar
Equipamentos Compactos

Mercado em mutação

Impulsionadas pela mecanização das obras de médio porte, máquinas compactas demonstram versatilidade para atender o mercado brasileiro
Por Camila Waddington

De olho no bom momento para máquinas compactas no país, a Case CE é outra empresa que tem apostado no segmento, com planos arrojados de financiamento para atender principalmente pequenos e médios investidores do mercado de locação e construção. Ao todo, a empresa oferece sete modelos de minicarregadeiras no Brasil, com máquinas de 590 kg a 1.360 kg de capacidade de carga operacional. “A faixa mais demandada é a de equipamentos entre 680 e 800 kg”, afirma Edmar de Paula, gerente de marketing de produto da empresa.

Ele explica que, nos últimos três anos, essa faixa de máquinas passou a ser mais requisitada, sendo que antes os modelos menores tinham a preferência por possuírem motores de menos de 60 hp de potência, o que proporcionava isenção na taxa de imposto de importação (de 14%) sobre o valor da máquina. “Mas, com o tempo, o mercado entendeu que não adiantava obter essa isenção e perder produtividade no campo, o que levou os frotistas a optarem por máquinas maiores”, explica.

VERSATILIDADE

O executivo destaca ainda o variado conjunto de implementos atualmente disponível para minicarregadeiras, o que possibilita a sua aplicação nos mais diversos tipos de serviços. “Temos treinado nossos vendedores para que mostrem as aplicações especiais que podem ser executadas pelas minicarregadeiras”, diz ele. “É o caso do segmento ceramista, no qual a máquina pode trabalhar com concha para exercer a função de pá carregadeira, com garfo pallet para auxiliar no transporte de materiais no lugar da empilhadeira, com vassoura para limpar o pátio etc.”, enumera Edmar de Paula.

Outras aplicações nas quais as minicarregadeiras têm se popularizado rapidamente, de acordo com o especialista da Case, encontram-se no setor agropecuário. “Temos cases de aplicação em aviários, com minicarregadeiras equipadas com vassouras, para limpar o terreno, ou com pinças, para fazer a substituição das câmeras de frango, além de servirem como empilhadeiras para o deslocamento de enfardamento”, ele destaca.

Diferentemente dos demais fabricantes, a Case classifica as máquinas de até 1.360 kg de capacidade como compactas. Acima disso, a classificação da empresa é de carregadeira média. O mesmo ocorre na linha de escavadeiras, cuja gama de modelos da fabricante vai até 11 t de peso operacional, mas somente as máquinas com menos de 5 t são classificadas como minis.