FECHAR
FECHAR
15 de janeiro de 2019
Voltar
Implementos Rodoviários

Espaço para crescer

Após anos de baixa demanda, o setor de implementos rodoviários vem registrando uma melhora significativa, impulsionado pelos resultados obtidos no mercado agrícola

Ao longo dos últimos anos, o mercado de implementos rodoviários sofreu uma queda significativa, acompanhando as agruras generalizadas do setor de bens de capital. A base ainda é baixa, mas o suficiente para devolver a confiança. Segundo Norberto Fabris, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (Anfir), em números absolutos o desempenho de janeiro a novembro de 2018 representa a metade do registrado há cinco anos. “Nesses onze meses, entregamos ao mercado 55.804 unidades, enquanto foram emplacados 100.406 produtos no mesmo período de 2013”, posiciona Fabris.

No entanto, em 2018 a curva descendente finalmente foi interrompida, sendo que o total emplacado até julho foi de 46.674 unidades, 52% acima do mesmo período de 2017, quando a indústria entregou ao mercado 30.707 implementos rodoviários. Se for considerada a demanda até agosto, o aumento é ainda maior, com um total emplacado de 55.804 unidades, frente a 36.494 unidades em igual período do ano anterior (52,9%).

Gazzi vê uma retomada mais consistente em quase todas as famílias

De acordo com a Anfir, os resultados registrados por segmento também foram positivos no ano. No setor de reboques e semirreboques, por exemplo, de janeiro a julho de 2018 foram emplacadas 23.411 unidades, contra 12.912 em 2017, o que representa alta de 81,31%. Já no segmento de carrocerias sobre chassis, as vendas até julho foram de 23.263 unidades, enquanto no mesmo período de 2017 foram emplacados 17.795 produtos. “Isso representa 30,7% de resultado positivo”, comenta o executivo.

Segundo Fabris, as oscilações do setor de implementos rodoviários estão diretamente ligadas ao desempenho dos demais segmentos da economia. Atualmente, diz ele, mais de 60% das mercadorias que circulam pelas ruas e estradas do país são transportadas por meio de implementos rodoviários. “Se os negócios estão aquecidos, a nossa indústria recebe os benefícios, mas quando não estão, sofremos as consequências”, reitera.

PLAYERS

Para Alexandre Gazzi, diretor de operações da divisão montadora da Randon, o crescimento de mercado registrado em 2018 teve reflexo direto no desempenho da empresa no primeiro semestre do ano, que registrou a produção de 8.711 unidades, um volume 58,8% superior às 5.486 unidades vendidas em igual período de 2017. “A retomada dos negócios tem se mostrado consistente em quase todas as famílias de produtos, liderada pelos segmentos de graneleiros, basculantes, carga-geral e tanques”, informa. “Com isso, o market share da companhia subiu para 39,1%.”