FECHAR
FECHAR
02 de junho de 2020
Voltar

MINERAÇÃO

Setor mineral prevê ser o 1º a responder pela recuperação econômica do Brasil

Com capacidade instalada e potencial para recuperação no curto prazo, a mineração tem se colocado como o motor principal para essa retomada
Fonte: Portal da Mineração

Entidades da indústria de mineração acreditam que há boas expectativas de retomada da economia no Brasil para o segundo semestre, em decorrência dos sinais de recuperação econômica e das atividades industriais na China.

Com capacidade instalada e potencial para recuperação no curto prazo, a mineração tem se colocado como o motor principal para essa retomada.

Apesar das boas perspectivas, o cenário ainda é incerto acerca da manutenção das medidas de proteção contra o Coronavírus (Covid-19).

O setor afirma que a produção não foi prejudicada com a adoção das adaptações necessárias ao cumprimento dos protocolos dos órgãos de saúde. A capacidade de adaptação da indústria, imposta pela atual crise, tem surpreendido de forma positiva.

O segmento, que vem conseguindo evitar abalos da pandemia na produção e exportação, prevê ainda a ampliação futura das atividades, com o retorno de minas paralisadas e a entrada de novos projetos, afirmou o diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), Flávio Penido.

Um evento com efeito catalisador provoca mudanças que num ambiente em condições “normais”, ...


Entidades da indústria de mineração acreditam que há boas expectativas de retomada da economia no Brasil para o segundo semestre, em decorrência dos sinais de recuperação econômica e das atividades industriais na China.

Com capacidade instalada e potencial para recuperação no curto prazo, a mineração tem se colocado como o motor principal para essa retomada.

Apesar das boas perspectivas, o cenário ainda é incerto acerca da manutenção das medidas de proteção contra o Coronavírus (Covid-19).

O setor afirma que a produção não foi prejudicada com a adoção das adaptações necessárias ao cumprimento dos protocolos dos órgãos de saúde. A capacidade de adaptação da indústria, imposta pela atual crise, tem surpreendido de forma positiva.

O segmento, que vem conseguindo evitar abalos da pandemia na produção e exportação, prevê ainda a ampliação futura das atividades, com o retorno de minas paralisadas e a entrada de novos projetos, afirmou o diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), Flávio Penido.

Um evento com efeito catalisador provoca mudanças que num ambiente em condições “normais”, levaria muito tempo para serem implementadas.

“A mineração brasileira já vinha enfrentando uma série de desafios, decorrentes da grave crise gerada pelos rompimentos de barragens. Fazer o alinhamento das necessidades com a vontade é um trabalho árduo e o momento atual é crucial para implantar mudanças estratégicas”, afirma representantes do setor.

Segundo as entidades, entre a hesitação diante das incertezas e a ousadia para inovar num ambiente desafiador, a decisão de quem está na liderança não é simples e precisa de apoio para serem efetivas.

“A digitalização e automação de plantas de beneficiamento mineral, passa de uma tendência incipiente que agora está respaldada na urgência da sua necessidade.”

Segundos representantes, a transformação digital é o caminho natural da nova mineração. Replicar operações físicas no ambiente digital está, por um lado, alinhado à necessidade cada vez mais crescente de aumentar a segurança laboral, evitando a exposição de pessoas a riscos e, por outro, viabilizar uma exploração mais racional dos recursos, reduzindo desperdícios e gerando maior valor ao produto final.