FECHAR
19 de novembro de 2019
Voltar

EMPRESA

Manipuladores da JCB atuam no GP Brasil de Fórmula 1

Multinacional inglesa forneceu 14 Loadalls modelos 535-140 e 540-170 e disponibilizará um time de 16 operadores da fábrica para a realização do evento
Fonte: Assessoria de Imprensa

Os manipuladores telescópicos (Loadall) da JCB foram, pelo terceiro ano consecutivo, responsáveis pelas ações de segurança do Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1.

A multinacional inglesa disponibilizou para essa edição da corrida, que aconteceu em São Paulo, nos dias 15,16 e 17 de novembro, um time composto por 16 operadores e 14 máquinas.

De acordo com Davi Luduvico, engenheiro de aplicação da JCB, o grupo de voluntários foi formado por operadores, especialistas de produto, engenheiro de operação e técnicos.

Os Loadalls utilizados foram dos modelos 535-140, com capacidade para até 3,5 t e altura máxima de elevação de 12,3 metros, e 540-170, com capacidade de 4 t e elevação máxima de 16,7 metros. A empresa ofereceu ainda um técnico e um carro oficina completo, com todo ferramental e principais itens de manutenção.

“Nosso time é formado basicamente por veteranos dos dois anos anteriores, o que transmite muito mais segurança à direção de prova”, revelou Luduvico. “A cada ano nós passamos por dois treinamentos para reciclagem no próprio circuito de Interlagos, simulando diferentes cenários de possíveis resgates e remoção dos carros, em diferentes loca...


Os manipuladores telescópicos (Loadall) da JCB foram, pelo terceiro ano consecutivo, responsáveis pelas ações de segurança do Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1.

A multinacional inglesa disponibilizou para essa edição da corrida, que aconteceu em São Paulo, nos dias 15,16 e 17 de novembro, um time composto por 16 operadores e 14 máquinas.

De acordo com Davi Luduvico, engenheiro de aplicação da JCB, o grupo de voluntários foi formado por operadores, especialistas de produto, engenheiro de operação e técnicos.

Os Loadalls utilizados foram dos modelos 535-140, com capacidade para até 3,5 t e altura máxima de elevação de 12,3 metros, e 540-170, com capacidade de 4 t e elevação máxima de 16,7 metros. A empresa ofereceu ainda um técnico e um carro oficina completo, com todo ferramental e principais itens de manutenção.

“Nosso time é formado basicamente por veteranos dos dois anos anteriores, o que transmite muito mais segurança à direção de prova”, revelou Luduvico. “A cada ano nós passamos por dois treinamentos para reciclagem no próprio circuito de Interlagos, simulando diferentes cenários de possíveis resgates e remoção dos carros, em diferentes locais e modos de atuação.”

Luduvico destacou ainda que atuar no GP Brasil é uma grande oportunidade de participar de um evento de proporções globais representando a marca JCB.

“A Fórmula 1 é um evento que utiliza nossos equipamentos em situações limite, em que são exigidos ao máximo, e além disso, trabalhar na pista nos proporciona uma visão extraordinária do evento”.

Alisson Brandes, diretor de Vendas & Marketing da JCB complementa que parcerias com o automobilismo fazem parte do DNA da empresa.

“Essa é uma grande oportunidade de mostrar ao mundo a versatilidade, agilidade e segurança de nossas máquinas, uma vez que, para participar da Formula 1, são exigidos os maiores padrões de excelência e qualidade do mundo”, finaliza.