FECHAR
FECHAR
21 de fevereiro de 2018
Voltar

Comércio Exterior

Indústria alemã de equipamentos de construção segue otimista

O volume de negócios e os pedidos de vendas recebidas tiveram um aumento de dois dígitos em 2017
Fonte: Assessoria de Imprensa

A indústria alemã de equipamentos de construção terminou 2017 com um faturamento de 10,8 bilhões de euros – um aumento de 15% em relação ao ano anterior. É o quarto ano consecutivo de crescimento para o setor.

As encomendas recebidas foram 19% mais elevadas até o final do ano. Espera-se que 2018 também seja um ano positivo, com a indústria prevendo um aumento de 8% no volume de negócios.

As fabricantes geraram crescimento considerável em todos os subsegmentos em 2017, com o maior aumento em equipamentos de terraplenagem (21%), seguido de equipamentos de construção (até 11%) e máquinas de construção de estradas (9%).

"Estamos nos beneficiando da alta demanda simultânea em todo o mundo", acrescenta Franz-Josef Paus, presidente da VDMA – Federação Alemã de Engenharia (Association for Construction Machinery and Building Material Machines) e diretor executivo da Hermann Paus Maschinenfabrik GmbH.

“Não há sinais de que isso vai mudar este ano. O boom nos levará até 2019”, diz o executivo.

O mercado alemão foi a força motriz por trás dos desenvolvimentos positivos de 2017.

“Na Alemanha, os fabricantes conseguiram adicionar outros 3% a um já alto nível de vendas. "Esta escala foi surpreendente", comenta  Joachim Strobel, diretor geral da Liebherr-EMtec GmbH.

Segundo Strobel, o segmento de máquinas compactas foi o principal motivo pelo qual esse crescimento não foi maior.

“Depois de registrar aumento nos últimos dois anos, esse setor está claramente começando a se tornar saturado, resultando em um crescimento negativo de um dígito”, diz.

Cerca de 20% das máquinas de construção foram vendidas na Europa no ano passado a mais do que em 2016.

As vendas de equipamentos de construção atingiram níveis recordes na Europa do Norte e Ocidental, enquanto a demanda na Europa do Sul e Central aumentou consideravelmente, embora de um ponto de partida baixo.

Produção editorial: Revista M&T – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral