FECHAR
FECHAR
10 de fevereiro de 2012
Voltar
Empresas

Senso de oportunidade

Com foco em modelos adaptados, a CZM se destaca no setor de equipamentos para fundação por meio de inovações tecnológicas, proximidade com o cliente e percepção aguda do mercado
Por Marcelo Januário (Editor)

Com sede em Contagem (MG), a CZM figura como um dos principais fabricantes de equipamentos para fundações do mercado brasileiro e exporta parte de sua produção para diversos países. Sintonizada com as necessidades do setor, a empresa produz uma ampla linha de equipamentos, desde as perfuratrizes portáteis até os modelos montados sobre caminhões, escavadeiras hidráulicas, miniesteiras e guindastes, além dos martelos vibratórios hidráulicos ICE e outros.

Para disputar um mercado altamente competitivo, que movimenta anualmente cerca de R$ 350 milhões em negócios, a empresa investe em pesquisa tecnológica e no atendimento pós-venda. Em 2011, ela produziu 140 unidades dos mais diversos modelos, alcançando um faturamento de aproximadamente R$ 150 milhões. Segundo o diretor comercial Marcos Cló, esse desempenho garantiu à CZM uma participação de 55% no mercado brasileiro.

Se considerarmos apenas o segmento de perfuratrizes de hélice contínua, sua participação é ainda maior, com 70 unidades fabricadas em 2011 e um market share de 80%. Nada mal para uma empresa totalmente nacional que atua em um setor no qual há apenas cinco anos os modelos importados respondiam por cerca de 90% da demanda.

Modelos adaptados

Um diferencial que explica tais resultados é seu sistema de fabricação. Utilizando escavadeiras hidráulicas de série como plataforma para a adaptação de seus equipamentos, a empresa tem se mostrado mais eficiente do que os concorrentes que fabricam perfuratrizes como equipamento completo. Operando principalmente por encomenda, o mercado mundial para esse tipo de máquina é bem mais reduzido que o dos modelos produzidos em série, o que – pelo menos em parte – possibilitou sua rápida evolução.

Mas existe outra razão para o sucesso. “Nossos modelos para estacas hélice contínua atingem profundidades 30% maiores do que os demais equipamentos do mesmo porte e potência”, afirma Cló. Ele atribui esse desempenho ao sistema Bottom Drive CFA, patenteado pela empresa em 1999, que posiciona o cabeçote de rotação ao pé da torre de perfuração, permitindo executar perfurações de maior diâmetro e profundidade.

Como o sistema tende a ser mais leve e equilibrado, a tecnologia também trouxe vantagens adicionais relacionadas ao desempenho da máquina, como sua maior estabilidade e a segurança do operador. Ela também reduziu o custo de transporte do equipam


Com sede em Contagem (MG), a CZM figura como um dos principais fabricantes de equipamentos para fundações do mercado brasileiro e exporta parte de sua produção para diversos países. Sintonizada com as necessidades do setor, a empresa produz uma ampla linha de equipamentos, desde as perfuratrizes portáteis até os modelos montados sobre caminhões, escavadeiras hidráulicas, miniesteiras e guindastes, além dos martelos vibratórios hidráulicos ICE e outros.

Para disputar um mercado altamente competitivo, que movimenta anualmente cerca de R$ 350 milhões em negócios, a empresa investe em pesquisa tecnológica e no atendimento pós-venda. Em 2011, ela produziu 140 unidades dos mais diversos modelos, alcançando um faturamento de aproximadamente R$ 150 milhões. Segundo o diretor comercial Marcos Cló, esse desempenho garantiu à CZM uma participação de 55% no mercado brasileiro.

Se considerarmos apenas o segmento de perfuratrizes de hélice contínua, sua participação é ainda maior, com 70 unidades fabricadas em 2011 e um market share de 80%. Nada mal para uma empresa totalmente nacional que atua em um setor no qual há apenas cinco anos os modelos importados respondiam por cerca de 90% da demanda.

Modelos adaptados

Um diferencial que explica tais resultados é seu sistema de fabricação. Utilizando escavadeiras hidráulicas de série como plataforma para a adaptação de seus equipamentos, a empresa tem se mostrado mais eficiente do que os concorrentes que fabricam perfuratrizes como equipamento completo. Operando principalmente por encomenda, o mercado mundial para esse tipo de máquina é bem mais reduzido que o dos modelos produzidos em série, o que – pelo menos em parte – possibilitou sua rápida evolução.

Mas existe outra razão para o sucesso. “Nossos modelos para estacas hélice contínua atingem profundidades 30% maiores do que os demais equipamentos do mesmo porte e potência”, afirma Cló. Ele atribui esse desempenho ao sistema Bottom Drive CFA, patenteado pela empresa em 1999, que posiciona o cabeçote de rotação ao pé da torre de perfuração, permitindo executar perfurações de maior diâmetro e profundidade.

Como o sistema tende a ser mais leve e equilibrado, a tecnologia também trouxe vantagens adicionais relacionadas ao desempenho da máquina, como sua maior estabilidade e a segurança do operador. Ela também reduziu o custo de transporte do equipamento, devido à melhor relação entre seu peso e a profundidade de perfuração, além de conferir maior eficiência na penetração em solos de alta resistência e de facilitar a adaptação para uso de haste telescópica na execução de estacas escavadas.

Disponibilizado em sete diferentes modelos de equipamentos, o sistema contribuiu para consolidar a liderança da empresa no mercado interno, onde é utilizado em mais de 300 unidades em operação. Devido à boa relação custo/benefício que a tecnologia proporciona ao cliente final, Marcos Cló avalia que a empresa está credenciada a avançar em concorridos mercados como a America Latina, Caribe, França, Inglaterra e Estados Unidos. “Esse sistema nos dá uma vantagem competitiva em relação aos modelos tradicionais e, por isso, estamos certos que a internacionalização será cada vez maior”, diz ele.

Novas soluções

Com um sucesso tão significativo em um espaço de tempo relativamente curto (pouco mais de uma década), o investimento em pesquisa tecnológica tornou-se prioritário para a CZM. “Já temos outras três patentes com registro no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) para equipamentos de cravação e perfuração”, informa o diretor. “Estamos apenas aguardando o momento mais oportuno para o lançamento.”

Completando o perfil estratégico da empresa, a pesquisa tecnológica tem um forte aliado na percepção das necessidades do mercado, que orienta a expansão do portfólio de produtos. Há três anos, por exemplo, a fabricante começou a investir na modernização dos equipamentos de cravação de estacas, que no Brasil são tradicionalmente produzidos de forma artesanal pelos próprios usuários.

Vendo nessa improvisação uma oportunidade real de negócios, a CZM passou a produzir e oferecer novas soluções tecnológicas aos clientes, como seus dois modelos de martelos hidráulicos sobre esteiras: o EM5000HH, para cravação com pilões de 5 t, e o EM8000HH, para cravação com pilões de 8 t. Atualmente, ela conta com 35 unidades desse tipo em operação, posicionando o produto como o que mais cresce na sua linha de produção.

Com a consolidação dos novos produtos, a CZM já trabalha no desenvolvimento de martelos com pilões de 3 t e 10 t, que irão complementar a linha e atender 80% das necessidades atuais do mercado. Também se encontra em fase experimental um projeto para a fabricação de equipamentos de estacas de deslocamento, que aliam as vantagens das estacas cravadas às escavadas, sem a necessidade de retirada de material.

De olho no exterior

Mas a empresa mineira quer ainda mais. “Estamos desenvolvendo um mecanismo pantográfico que permitirá a aplicação multiuso para alguns modelos da linha”, antecipa Cló. Segundo ele, somados à crescente expansão do setor de construção civil, todos estes investimentos e inovações poderão duplicar a capacidade produtiva da empresa nos próximos cinco anos. “Estamos nos preparando para que isso se torne uma realidade caso a demanda se confirme.”

Após conquistar a liderança no mercado nacional de equipamentos para fundação, a CZM vem ganhando espaço crescente no exterior. Só para os Estados Unidos, as exportações da empresa triplicaram no ano passado, mesmo em meio à crise que tomou conta daquele país. A estratégia que possibilitou um crescimento tão intenso foi a estruturação de um eficiente atendimento pós-vendas, facilitado pela decisão de montar os equipamentos localmente, por meio de um representante que adquire as escavadeiras.

“Como o importante para o cliente final é que o equipamento tenha uma manutenção ágil e de custo acessível, nada melhor que o próprio representante da escavadeira à sua porta com contratos de manutenção preventiva”, explica Cló. Em 2012, a expectativa da CZM é de manter o ritmo de crescimento e duplicar as exportações. Já no mercado interno, a empresa pretende credenciar novos fornecedores de escavadeiras para aumentar a oferta de produtos aos clientes, obtendo um crescimento de 30% ao longo do ano.

De olho no futuro, a empresa também se prepara para atender a demanda de modernização e maior produtividade do parque de equipamentos de perfuração, impulsionada pelas obras relacionadas aos grandes eventos esportivos e à chegada de fabricantes internacionais. “Nos próximos cinco anos, nossa expectativa é de que o potencial de aquisição destas máquinas triplique em relação ao atual”, finaliza o diretor.