FECHAR
FECHAR
11 de março de 2010
Voltar
Obras Ferroviárias / Projetos entram nos trilhos

No Brasil, no entanto, ainda não há uma máquina lançadora de linha de grande porte em operação, de forma que processos de menor complexidade, tais como o uso de pórticos para distribuição de dormentes, vêm sendo empregados juntamente com a máquina posiciondora de trilhos, que os coloca sobre os dormentes, segundo Anselmo Coutinho, engenheiro da Plasser & Theurer.

Independentemente das máquinas para lançamento de linha, são usados diversos tipos de equipamentos para os demais serviços de construção de uma via férrea, cada um indicado para um processo. Ao longo do tempo, a mecanização vem evoluindo significativamente para promover maior produtividade e confiabiliadade à obra ferroviária. “É o caso das socadoras, que têm sido compradas por construtoras como Odebrecht, Andrade Gutierrez e outras, responsáveis pela construção da ferrovia Norte-Sul”, diz José Kuster, consultor da Ecke, especializado em ferrovias.

Responsáveis pelo nivelamento e alinhamento da via permanente, as socadoras realizam a correção geométrica da via ao mesmo tempo que se deslocam sobre os trilhos e socam o lastro de brita. Elas usam um dispositivo que se acopla ao trilho, abaixo do boleto, elevando-o junto com os dormentes. Ao mesmo tempo as bancas de socaria – conjuntos de ferramentas que acessam as áreas em torno e embaixo dos dormentes – realizam a vibração e compactação do lastro de brita.

Novos equipamentos
No caso da Plasser & Theurer, as socadoras contam com sistemas de medição dos parâmetros geométricos e, como são totalmente automatizadas, fazem a leitura da linha, calculam os ajustes necessários e transmitem os dados para os sistemas que acionam os grupos de levantamento e puxamento, bem como para as bancas de socaria. “Nossos equipamentos têm capacidade para socar até quatro dormentes simultaneamente, substituindo o método manual, que empregaria centenas de operários para os processos de elevação do dormente, do trilho e da soca do lastro por meio de ferramentas manuais”, adianta Coutinho.

No rol de equipamentos especiais utilizados na construção de ferrovias, os especialistas destacam ainda as escavadeiras adaptadas para deslocamento sobre trilhos. São as desguarnecedoras de lastro, especializadas na remoção de lastro sujo, pó e outros materiais. Nessa ação, elas recompõem o lastro na sua secção de projeto, usando brita nova para recompor a geometria da via.

Como foi dito no início desta reportagem, as grandes obras federais de ferrovias têm impulsionado construtoras na compra de equipamentos especiais como as socadoras e escavadeiras adaptadas, para ficarmos em dois exemplos. A evolução da utilização de equipamentos tende a ser constante na visão de especialistas.