FECHAR
08 de abril de 2010
Voltar
Em foco

Distribuidora se prepara para virar montadora

O complexo industrial de Suape, localizado em Pernambuco, ganhou mais um investimento em meio aos muitos projetos em instalação no local. Um dos mais recentes deles foi anunciado pela fabricante de equipamentos de construção XCMG, da China, que pretende produzir alguns de seus modelos para atender o mercado brasileiro.

Orçado em US$ 12 milhões, o projeto é um investimento da empresa Êxito Importação e Exportação, nomeada pela fabricante para atuar como sua distribuidora máster no Brasil. José Lacy de Freitas Junior, presidente da Êxito, diz que o empreendimento foi motivado pela rápida aceitação da marca no País. “Em 2009, que foi um ano de crise para a indústria, conseguimos crescer 50% e agora queremos oferecer mais segurança para os clientes, que poderão adquirir equipamentos com garantia de uma fábrica local.”

Com 15 distribuidores nomeados, que possibilitam o suporte em vendas e assistência técnica aos clientes em todo o País, a empresa conta com um estoque de cerca de US$ 200 mil em peças e atua como uma ponte entre a montadora chinesa e os distribuidores brasileiros no treinamento técnico dos vendedores e mecânicos brasileiros. Agora, a dealer máster prepara sua estratégia para se tornar fabricante, sob a bandeira da XCMG.

Para isso, ela adquiriu um terreno de 9,3 hectares, em Suape, que também vai abrigar um centro de distribuição (CD) de peças e equipamentos da marca. Pelos planos de Freitas Junior, o CD deve entrar em operação antes da própria fábrica, ainda este ano.

Nessa empreitada, a empresa conta com a chancela da fabricante, que cederá sua marca e exportará os componentes necessários para a montagem dos equipamentos no País. O plano inicial é usar a instalação local para produção em sistema CKD, até a empresa desenvolver os fornecedores locais. “O que facilita é que os equipamentos da XCMG têm componentes acessíveis em qualquer mercado mundial, inclusive o Brasil, como motores da Cummins e sistemas de transmissão da ZF.”

A idéia, segundo Freitas Junior, é concentrar os esforços na produção de pás carregadeiras, embora a empresa atue no Brasil também com a venda de escavadeiras hidráulicas, motoniveladoras, rolos vibratórios e guindastes veiculares. “As carregadeiras são nosso carro-chefe e já temos equipamentos vendidos com mais de 15.000 h trabalhadas, que não apresentaram grandes problemas de manutenção aos proprietários.”