FECHAR
FECHAR
Voltar

Painel

Revista M&T Edição 160 - 08/2012

ZF apresenta nova geração de transmissão

Uma pedreira localizada próxima ao rio Danúbio, na fronteira entre a Alemanha e Áustria, serviu de palco para a ZF demonstrar à imprensa internacional, no mês de julho, suas mais recentes tecnologias desenvolvidas para equipar o trem de força dos equipamentos fora de estrada utilizados em construção e mineração. Durante o test-drive organizado pela empresa para a imprensa especializada, que contou com a presença da revista M&T representando o Brasil, os jornalistas não tiveram acesso apenas às informações sobre a empresa e seus produtos; também puderam testar o desempenho dos componentes da marca nas pás carregadeiras, escavadeiras de rodas, caminhões articulados, rolos compactadores e empilhadeiras, entre outras máquinas equipadas com seus eixos de transmissão, conversores de torque e demais componentes.

Um dos destaques foi o sistema de transmissão continuamente variável cPower, para aplicação em carregadeiras de rodas, recém-lançado pela fabricante. Utilizando dispositivos de eficiência já comprovada no mercado, integrados ao módulo de controle eletrônico da máquina (ECU), o sistema oferece maior retomada de velocidade ao equipamento, proporcionando melhores ciclos de operação.

O resultado, segundo a ZF, é uma economia de combustível de até 30% e um ganho de eficiência na condução da máquina de até 20% em relação aos sistemas de transmissão convencionais hidrodinâmicos de conceito puramente hidrostático.

Segundo Hermann Beck, vice-presidente da unidade de negócios de máquinas de construção da divisão de eixos e sistemas de transmissão off-road, a nova tecnologia permite que o motor da carregadeira trabalhe sempre em rotações mais baixas, oferecendo elevada força para a desagragação de materiais e a movimentação da carga na caçamba. “Diante da necessidade de redução no consumo de combustível e na emissão de gases poluentes, estamos estabelecendo uma tendência com base na nossa liderança tecnológica”, diz ele.

Com um faturamento de 791 milhões de euros em 2011, a divisão da ZF dedicada aos sistemas presentes em máquinas de construção e elevação de cargas conta com nove fábricas no mundo, entre elas a de Sorocaba, no interior paulista. Segundo Hermann Beck, essas unidades são posicionadas no grupo em função da autonomia para projetar e fabricar novos produtos. “No caso dos produtos premium, apenas a unidade da Alemanha tem autorização para desenvolver e, em alguns casos, até mesmo para fabricar determinados componentes.”

O executivo ressalta o alto grau de desenvolvimento tecnológico da unidade brasileira, que desenvolve e produz sistemas de transmissão para atendimento aos fabricantes e ao mercado de reposição do Brasil e demais países da América do Sul. Apesar de a ZF manter uma joint-venture com a LiuGong, na província chinesa de Liuzhou, para produzir os componentes usados nas carregadeiras da marca, Beck nega que essa operação possa vir a atender a fábrica em instalação pela empresa chinesa no Brasil.

“Ela atende apenas à demanda local e qualquer projeto envolvendo o suprimento de clientes brasileiros deve passar pela unidade do Brasil.” Pela representatividade da marca, cujos componentes estão presentes em equipamentos de diferentes fabricantes, Beck não descarta que a ZF esteja em contato com as inúmeras empresas com projeto de instalação de fábrica no Brasil.