FECHAR
FECHAR
14 de abril de 2020
Voltar

AGRONEGÓCIO

Vendas de máquinas agrícolas no Brasil saltam 10% em março

No entanto, com as vendas prejudicadas pelo cancelamento de feiras e demais efeitos do Coronavírus, o setor de máquinas agrícolas no Brasil aposta no segundo semestre para recuperar uma parcela significativa do faturamento do ano
Fonte: G1

As vendas de máquinas agrícolas e rodoviárias pela indústria a concessionárias no Brasil saltaram 10% em março quando na comparação com mesmo mês do ano passado, enquanto também avançaram fortemente ante fevereiro.

Dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgados na semana passada mostraram vendas de 4,1 mil unidades desses equipamentos no mês passado, o que representa alta de 46% frente a fevereiro.

Já as exportações de equipamentos desses setores em março deste ano somaram 980 unidades, com queda de 11,9% ano a ano, mas avanço de 18,9% na comparação com fevereiro.

A produção de máquinas agrícolas e rodoviárias no país, por outro lado, somou 4,1 mil unidades em março, com queda de 7,7% frente ao mesmo mês ao ano anterior. Na comparação com fevereiro, houve aumento de 14,9%, segundo os dados da Anfavea.

Covid-19
No entanto, com as vendas prejudicadas pelo cancelamento de feiras e demais efeitos do Coronavírus, o setor de máquinas agrícolas no Brasil aposta no segundo semestre para recuperar uma parcela significativa do faturamento do ano, enquanto os negócios para a infraestrutura da fazenda, como silos, já sofreram pe...


As vendas de máquinas agrícolas e rodoviárias pela indústria a concessionárias no Brasil saltaram 10% em março quando na comparação com mesmo mês do ano passado, enquanto também avançaram fortemente ante fevereiro.

Dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgados na semana passada mostraram vendas de 4,1 mil unidades desses equipamentos no mês passado, o que representa alta de 46% frente a fevereiro.

Já as exportações de equipamentos desses setores em março deste ano somaram 980 unidades, com queda de 11,9% ano a ano, mas avanço de 18,9% na comparação com fevereiro.

A produção de máquinas agrícolas e rodoviárias no país, por outro lado, somou 4,1 mil unidades em março, com queda de 7,7% frente ao mesmo mês ao ano anterior. Na comparação com fevereiro, houve aumento de 14,9%, segundo os dados da Anfavea.

Covid-19
No entanto, com as vendas prejudicadas pelo cancelamento de feiras e demais efeitos do Coronavírus, o setor de máquinas agrícolas no Brasil aposta no segundo semestre para recuperar uma parcela significativa do faturamento do ano, enquanto os negócios para a infraestrutura da fazenda, como silos, já sofreram perdas "irreparáveis".

"Cerca de 60% das vendas são realizadas no segundo semestre, de máquinas que serão usadas na próxima safra de verão. Se não houver um grande problema no mercado, esperamos recuperar parte disso este ano", disse o representante da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) e diretor institucional da Jacto, Pedro Estevão Bastos.

Sazonalmente, a comercialização de tratores, colheitadeiras e demais implementos utilizados no plantio e colheita se intensificam entre junho e outubro, para a safra de verão, e passam por uma nova rodada de negociações entre abril e maio, para utilização nas culturas de inverno.

Segundo Bastos, a expectativa inicial da Abimaq era aumentar em 7% no faturamento de máquinas agrícolas neste ano. Em 2019, a receita atingiu 16,7 bilhões de reais.
Além do cancelamento de pedidos de venda e do fechamento de concessionárias, fornecedores pararam de fabricar peças e, em consequência, levaram à suspensão nas atividades de montadoras.