FECHAR
FECHAR
02 de junho de 2020
Voltar

EMPRESAS

Paletrans garante atendimento ao mercado com produção verticalizada

Empresa não depende de fornecedores externos para alimentar sua linha de produção e isso lhe deu vantagem competitiva para pronto atendimento do mercado
Fonte: Assessoria de Imprensa

Em pouco mais de 30 dias de isolamento social proposto pelo Ministério da Saúde para minimizar o avanço da Covid-19 no Brasil, a fabricante de equipamentos Paletrans Empilhadeiras, tem se destacado no atendimento rápido do mercado graças à manutenção de uma estratégia produtiva extremamente verticalizada.

A planta da empresa fica em Cravinhos, SP, e está trabalhando em regime de turnos com número reduzido de pessoal.

“Fabricamos pouco mais de 80% de todos os componentes usados na montagem de nossas máquinas e isso nos torna mais fortes e confiantes, além de nos dar maior controle de toda a cadeia e processos produtivos”, conta Denis Dutra de Oliveira (foto), CEO da Paletrans Empilhadeiras.

“Os 20% restantes, adquiridos de fornecedores tanto nacionais quanto internacionais, apresentam risco relativo para nosso processo produtivo e conseguimos manter a operação em condições normais”.

Segundo o executivo, o comitê de gerenciamento de crise da empresa também avaliou que o pós-vendas deveria ter uma estratégia própria para suportar o período de limitações na produção, o que significaria ter um estoque de segurança de peças de alta qualidade.

O estoque atual corresponde a duas vezes o nível méd...


Em pouco mais de 30 dias de isolamento social proposto pelo Ministério da Saúde para minimizar o avanço da Covid-19 no Brasil, a fabricante de equipamentos Paletrans Empilhadeiras, tem se destacado no atendimento rápido do mercado graças à manutenção de uma estratégia produtiva extremamente verticalizada.

A planta da empresa fica em Cravinhos, SP, e está trabalhando em regime de turnos com número reduzido de pessoal.

“Fabricamos pouco mais de 80% de todos os componentes usados na montagem de nossas máquinas e isso nos torna mais fortes e confiantes, além de nos dar maior controle de toda a cadeia e processos produtivos”, conta Denis Dutra de Oliveira (foto), CEO da Paletrans Empilhadeiras.

“Os 20% restantes, adquiridos de fornecedores tanto nacionais quanto internacionais, apresentam risco relativo para nosso processo produtivo e conseguimos manter a operação em condições normais”.

Segundo o executivo, o comitê de gerenciamento de crise da empresa também avaliou que o pós-vendas deveria ter uma estratégia própria para suportar o período de limitações na produção, o que significaria ter um estoque de segurança de peças de alta qualidade.

O estoque atual corresponde a duas vezes o nível médio de vendas mensal da marca.

“Também é importante lembrar que por ter a produção verticalizada, nossa operação tem reduzido impacto frente às oscilações do câmbio e do mercado em geral, reduzindo riscos especulativos, nos tornando competitivos e permitindo entregar mais valor e respeito aos clientes” destaca Oliveira.

A Paletrans reporta que esta vantagem tem permitido à marca entregar ao mercado soluções de portfólio e, também, as que exigem maior customização de equipamentos, pois empresas de alguns setores, como os de serviços essenciais, estão correndo contra o tempo para aumentar sua capacidade logística.

“Soluções customizadas são as que mais impulsionam resultados em curtíssimo prazo quando não se tem tempo para colocar toda uma operação em determinados níveis de padrão e estamos conseguindo apoiar os clientes neste período de aumento exponencial de sua capacidade logística”, encerra Oliveira.