FECHAR
13 de agosto de 2019
Voltar

RESULTADOS

MT tem alta de colheitadeiras de algodão compradas no exterior

Foram importadas, de janeiro a julho, 41 colheitadeiras para fazendeiros em Mato Grosso
Fonte: Portal do Agronegócio

A cultura do algodão em Mato Grosso tem contribuído para o aquecimento econômico em diversos setores.

Um deles é o de máquinas agrícolas (principalmente colheitadeiras) que este ano tem registrando crescimento considerável.

Desse modo, segundo dados do ministério de Indústria e Comércio, foram importadas, de janeiro a julho, 41 colheitadeiras para fazendeiros em Mato Grosso, enquanto que durante todo o ano de 2018 foram 32 máquinas importadas.

Essa alta por parte da demanda, afirma o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária, em seu boletim semanal, está ligada, principalmente, ao aumento consecutivo das áreas destinadas para o cultivo do algodão.

“Em 2011,chegaram no Estado as primeiras colheitadeiras de rolo, que melhoraram significativamente a eficiência no manejo da cultura. No entanto, produtores mato-grossenses estão tendo dificuldades na aquisição de colheitadeiras novas, devido ao aumento da procura mundial por essas máquinas e a baixa oferta no mercado internacional, forçando os cotonicultores a importarem colheitadeiras usadas para suprir sua demanda e manter seu bom desempenho nas lavouras”, constata o Instituto.

...

A cultura do algodão em Mato Grosso tem contribuído para o aquecimento econômico em diversos setores.

Um deles é o de máquinas agrícolas (principalmente colheitadeiras) que este ano tem registrando crescimento considerável.

Desse modo, segundo dados do ministério de Indústria e Comércio, foram importadas, de janeiro a julho, 41 colheitadeiras para fazendeiros em Mato Grosso, enquanto que durante todo o ano de 2018 foram 32 máquinas importadas.

Essa alta por parte da demanda, afirma o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária, em seu boletim semanal, está ligada, principalmente, ao aumento consecutivo das áreas destinadas para o cultivo do algodão.

“Em 2011,chegaram no Estado as primeiras colheitadeiras de rolo, que melhoraram significativamente a eficiência no manejo da cultura. No entanto, produtores mato-grossenses estão tendo dificuldades na aquisição de colheitadeiras novas, devido ao aumento da procura mundial por essas máquinas e a baixa oferta no mercado internacional, forçando os cotonicultores a importarem colheitadeiras usadas para suprir sua demanda e manter seu bom desempenho nas lavouras”, constata o Instituto.