FECHAR
FECHAR
28 de janeiro de 2020
Voltar

MERCADO

Mercado de máquinas de construção projeta aumento nas vendas

Em 2019, com a economia apresentando maior estabilidade e novos investimentos, principalmente em pequenas obras de infraestrutura, o setor cravou mais 37% de elevação na comercialização desses equipamentos
Fonte: Notícias Agrícolas

Depois de amargar uma crise sem precedentes entre os anos de 2014 a 2017 (registrando queda livre de 30 mil máquinas comercializadas em 2013 para somente 8 mil em 2017), o setor de Máquinas de Construção vem aumentando gradativamente suas vendas no mercado brasileiro e, já em 2018, viu seu crescimento de mercado apontar um número de quase 100% de aumento nas vendas em relação ao ano anterior.

Em 2019, com a economia apresentando maior estabilidade e novos investimentos, principalmente em pequenas obras de infraestrutura, o setor cravou mais 37% de elevação na comercialização desses equipamentos em comparação a 2018, encerrando o ano com o número de 18.500 unidades comercializadas no país.

Para 2020, segundo Thomás Spana, Gerente de Vendas da Divisão de Construção da John Deere Brasil, a projeção é de um aumento que pode chegar até 20% nas vendas de máquinas de construção em relação aos números de 2019.

Segundo Spana, o país vislumbrar um cenário positivo, que surge para novos investimentos no Brasil, principalmente para os setores de infraestrutura, mineração e também na construção civil.

Outro segmento bastante significativo para o setor de máquinas de construç&ati...


Depois de amargar uma crise sem precedentes entre os anos de 2014 a 2017 (registrando queda livre de 30 mil máquinas comercializadas em 2013 para somente 8 mil em 2017), o setor de Máquinas de Construção vem aumentando gradativamente suas vendas no mercado brasileiro e, já em 2018, viu seu crescimento de mercado apontar um número de quase 100% de aumento nas vendas em relação ao ano anterior.

Em 2019, com a economia apresentando maior estabilidade e novos investimentos, principalmente em pequenas obras de infraestrutura, o setor cravou mais 37% de elevação na comercialização desses equipamentos em comparação a 2018, encerrando o ano com o número de 18.500 unidades comercializadas no país.

Para 2020, segundo Thomás Spana, Gerente de Vendas da Divisão de Construção da John Deere Brasil, a projeção é de um aumento que pode chegar até 20% nas vendas de máquinas de construção em relação aos números de 2019.

Segundo Spana, o país vislumbrar um cenário positivo, que surge para novos investimentos no Brasil, principalmente para os setores de infraestrutura, mineração e também na construção civil.

Outro segmento bastante significativo para o setor de máquinas de construção, segundo o executivo é o agronegócio, que em 2019 foi responsável por cerca de 28% nas vendas desses equipamentos do total de máquinas comercializadas em todo país.

Um setor que hoje está cada vez mais precisando dessas máquinas, para auxiliar os agricultores nas suas propriedades rurais.

“Estamos muito confiantes para os próximos anos, com uma expectativa forte num aumento do PIB do setor; e a nossa análise é de que os segmentos da mineração e da construção civil, principalmente, irão puxar as vendas de máquinas de construção no mercado brasileiro. Haverá também um incremento do setor agrícola por mais máquinas amarelas nas fazendas, e isso poderá elevar o mercado para 22 mil unidades comercializadas já em 2020”, comenta Spana.

A John Deere Construção está no Brasil com sua unidade de produção de máquinas para construção desde 2014.

Nas suas duas fábricas, localizadas em Indaiatuba, no interior de São Paulo, são produzidos tratores de esteiras, retroescavadeiras, pás carregadeiras e escavadeiras, em um sistema de joint-venture com a fabricante japonesa Hitachi. Para comercializar seus produtos conta com uma rede de 27 pontos de vendas em todo o território nacional.