FECHAR
FECHAR
14 de julho de 2020
Voltar

EMPRESAS

Manitowoc adota medidas para superar a pandemia

Ferramentas de realidade aumentada como o Vuforia Chalk foram utilizadas de maneira mais intensa permitindo a análise mais detalhada e resolução de casos de maneira remota.
Fonte: Jornal Sindipesa

Por conta da pandemia, a Manitowoc, fabricante de guindastes sobre esteiras, guindastes de torre e guindastes móveis para a indústria de construção pesada, revisitou todos os procedimentos e práticas do dia a dia nos escritórios e do pessoal em campo para verificar o que deveria ser feito para garantir a segurança e saúde dos colaboradores, parceiros comerciais e clientes sem afetar a qualidade e velocidade dos nossos serviços.

Foram adotadas diversas medidas, podendo ser divididas em três partes: garantir a segurança e saúde dos colaboradores; manter as capacidades operativas; e preservar o bem-estar econômico.

Para toda a equipe foi estabelecido o regime de home office. Esses colaboradores receberam orientações e os equipamentos necessários para execução de suas atividades. Para garantir o envio de peças e a prestação de serviços, novos protocolos foram estabelecidos com o objetivo de garantir o envio e a segurança do colaborador.

Além da adoção do home office como padrão, os processos de viagens foram revistos. Todas as viagens devem ser previamente aprovadas por um comitê que analisa as condições do local de destino e o método de viagem, por exemplo, para avaliar o risco para o colaborador.

Ferramentas de realidade aume...


Por conta da pandemia, a Manitowoc, fabricante de guindastes sobre esteiras, guindastes de torre e guindastes móveis para a indústria de construção pesada, revisitou todos os procedimentos e práticas do dia a dia nos escritórios e do pessoal em campo para verificar o que deveria ser feito para garantir a segurança e saúde dos colaboradores, parceiros comerciais e clientes sem afetar a qualidade e velocidade dos nossos serviços.

Foram adotadas diversas medidas, podendo ser divididas em três partes: garantir a segurança e saúde dos colaboradores; manter as capacidades operativas; e preservar o bem-estar econômico.

Para toda a equipe foi estabelecido o regime de home office. Esses colaboradores receberam orientações e os equipamentos necessários para execução de suas atividades. Para garantir o envio de peças e a prestação de serviços, novos protocolos foram estabelecidos com o objetivo de garantir o envio e a segurança do colaborador.

Além da adoção do home office como padrão, os processos de viagens foram revistos. Todas as viagens devem ser previamente aprovadas por um comitê que analisa as condições do local de destino e o método de viagem, por exemplo, para avaliar o risco para o colaborador.

Ferramentas de realidade aumentada como o Vuforia Chalk foram utilizadas de maneira mais intensa permitindo a análise mais detalhada e resolução de casos de maneira remota.

“Esta ferramenta reconhece e rastreia objetos, permitindo que sejam feitas anotações sobre um componente no vídeo de maneira remota. Novas máscaras e álcool gel foram adicionados ao kit padrão dos técnicos de serviços. Nos escritórios, além do kit padrão, um processo de sanitização periódico foi estabelecido para aqueles que eventualmente necessitem utilizar as instalações, principalmente o pessoal de logística a cargo do despacho das peças”, explica Luciano Dias, diretor de vendas da Manitowoc.

A empresa afirma que o impacto financeiro poderá ser identificado quando os resultados do trimestre estiverem fechados, mas adianta que não foi grande, pois parte das ações implementadas deve-se a mudanças nos processos já existentes, e quanto aos materiais novos eles foram comprados em grande escala para várias unidades garantindo um custo menor.

“As interações com os clientes de maneira geral são os aspectos que estão sendo mais afetados neste período. Seja para atendimento em serviço (com restrições de acesso nos job/ sites), ou para outras atividades, como os treinamentos que foram todos postergados”, afirma Dias.

Nos últimos anos, o principal investimento da empresa tem sido relacionado ao desenvolvimento de produtos.

O mais recente lançamento é um guindaste para terrenos acidentados de 150t. Este modelo, o GRT9165, é um dos que tem dois anos de garantia padrão por ter sido exaustivamente testado nos centros de verificação do produto. A linha de produtos de guindastes sobre caminhão TMS também foi atualizada.

No Brasil, um investimento recente foi feito no centro de treinamento em São Paulo, que possui vários simuladores e bancadas para atender a demanda de toda a América Latina. De acordo com o executivo, os investimentos continuam mesmo com a crise.

“O desenvolvimento de produtos continua, como, por exemplo, testes com máquinas e projetos em desenvolvimento seguiram adiante conforme a disponibilidade das pessoas. Nos test pads, câmeras foram instaladas para que a equipe de engenheiros pudesse acompanhar o processo de maneira remota enquanto em home office”, aponta Dias.

O executivo afirma que esta crise é particularmente diferente de todas que já presenciou. Em comparação com a de 2008, por exemplo, ele afirma que atingiu vários setores de maneira rápida colocando importantes recursos e serviços fora de ação, praticamente de uma semana para outra e nos principais mercados do mundo.

Logística, força de trabalho não disponível, renda para consumo. Tudo foi impactado de alguma maneira. “É natural compararmos com outras crises, principalmente as consequências. Mas esta tem uma natureza distinta e as ações têm que ser específicas”.