FECHAR
13 de agosto de 2019
Voltar

TENDÊNCIAS

Indústria terá de capacitar 10 milhões de trabalhadores

Até 2023 as fábricas precisarão capacitar 10,5 milhões de trabalhadores para absorver novas demandas do processo produtivo
Fonte: DCI

O uso da tecnologia, tão presente na sociedade contemporânea, também mudará o emprego na indústria como entendemos hoje.

Até 2023 as fábricas precisarão capacitar 10,5 milhões de trabalhadores para absorver novas demandas do processo produtivo.

O alerta foi dado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) que divulgou NO DIA 12 de agosto o Mapa do Trabalho.

De acordo com o indicador, estima-se que a ocupação de condutor de processos robotizados terá o maior avanço percentual do número de empregados para o período: 22,4% de aumento nas vagas disponíveis, enquanto o crescimento médio projetado para as ocupações industriais será de cerca de 8,5%.

As áreas que mais vão demandar formação profissional são transversais (1,7 milhão), metalmecânica (1,6 milhão), construção (1,3 milhão), logística e transporte (1,2 milhão), alimentos (754 mil), informática (528 mil), eletroeletrônica (405 mil), energia e telecom (359 mil). Por profissional transversal lê-se pessoas que atuam em mais de um segmento.

“O mundo vive a 4ª revolução industrial e o levantamento mostra que o Brasil, mesmo diante das dificuldades econômicas, está se inseri...


O uso da tecnologia, tão presente na sociedade contemporânea, também mudará o emprego na indústria como entendemos hoje.

Até 2023 as fábricas precisarão capacitar 10,5 milhões de trabalhadores para absorver novas demandas do processo produtivo.

O alerta foi dado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) que divulgou NO DIA 12 de agosto o Mapa do Trabalho.

De acordo com o indicador, estima-se que a ocupação de condutor de processos robotizados terá o maior avanço percentual do número de empregados para o período: 22,4% de aumento nas vagas disponíveis, enquanto o crescimento médio projetado para as ocupações industriais será de cerca de 8,5%.

As áreas que mais vão demandar formação profissional são transversais (1,7 milhão), metalmecânica (1,6 milhão), construção (1,3 milhão), logística e transporte (1,2 milhão), alimentos (754 mil), informática (528 mil), eletroeletrônica (405 mil), energia e telecom (359 mil). Por profissional transversal lê-se pessoas que atuam em mais de um segmento.

“O mundo vive a 4ª revolução industrial e o levantamento mostra que o Brasil, mesmo diante das dificuldades econômicas, está se inserindo aos poucos na Indústria 4.0”, avalia o diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi. O Senai foi responsável por compilar e organizar as principais tendências para o indicador.

Quanto às necessidades de qualificação, o Mapa aponta que os profissionais com formação técnica terão mais oportunidades na área de logística e transporte (495.161 trabalhadores até 2023), assim como na metalmecânica, que precisará qualificar 217.703. Com graduação é esperada abertura de quase 720 mil postos de trabalho.