FECHAR
FECHAR
14 de novembro de 2018
Voltar

Mercado

Índice da Abramat aponta resultados positivos em outubro

Indústria de materiais de construção se aproxima de confirmar previsão de fechar 2018 com crescimento
Fonte: Assessoria de Imprensa

A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) divulgou na semana passada a edição de seu índice de outubro.

Como destaque da pesquisa tem o registro de crescimento no faturamento da indústria de materiais de construção em outubro em todas as comparações, ainda que em relação ao mês anterior a alta aferida seja mínima.

Comparado a outubro/2017, o décimo mês do ano apontou resultado 4,1% superior no faturamento deflacionado. A comparação com setembro desse mesmo ano registra alta de 0,1%.

"Considerando os resultados acumulados pelo setor até outubro, a previsão para um encerramento do ano permanece alinhada com a projeção realizada que indicava crescimento de 1,5% em relação a 2017. Confirmada tal projeção, 2018 ficará marcado como um ano de recuperação para a indústria de materiais de construção, criando as bases para um crescimento maior em 2019”, comenta Rodrigo Navarro, presidente da associação.

A fala do presidente da associação encontra respaldo também nos indicadores acumulados de faturamento, que apontam para um reaquecimento consistente do setor.

Nos últimos 12 meses (set/17 a out/18), comparados ao mesmo período do ano anterior, o estudo demonstra alta de 2,3 % no faturamento das associadas, enquanto que no acumulado do ano (jan/18 a out/18) o crescimento em relação ao mesmo período de 2017 é de 1,6%.

Com ambos os segmentos de produtos contribuindo para o crescimento do faturamento do setor, os materiais de base apontam alta de 4,9% em relação ao mesmo mês em 2017 e variação negativa de -0,2% em relação ao mês anterior.

Os materiais de acabamento, por outro lado, indicaram aumento de 3,0% em relação a setembro de 2017 e crescimento de 0,3% em relação ao mês anterior.

O emprego na indústria de materiais de construção seguiu sua tendência de queda. De janeiro até outubro de 2018 o número de vagas de emprego do setor reduziu -0,7% em relação ao mesmo período de 2017.