FECHAR
FECHAR
17 de novembro de 2020
Voltar

Fábrica da New Holland comemora 45 anos com olhar voltado para o futuro

Planta da CNH Industrial foi a primeira a ser inaugurada na Cidade Industrial de Curitiba, em 1975, e é uma das mais modernas mundo
Fonte: Assessoria de Imprensa

Uma das fábricas mais modernas, completas e versáteis do mundo está completando 45 anos em 2020.

Além de produzir tratores e colheitadeiras para atender todo o mercado brasileiro e de outros países da América Latina, a fábrica da New Holland Agriculture, marca da CNH Industrial, foi a primeira a se instalar na Cidade Industrial de Curitiba, área hoje reconhecida com um dos principais polos industriais do país.

Inaugurada em 25 de outubro de 1975, a fábrica marcou a entrada da New Holland no país, cuja agricultura começava a despontar na época para se tornar, décadas depois, uma das mais pujantes do mundo.

Mas, para fazer a agricultura brasileira crescer, os produtores rurais precisavam ter máquinas que os ajudassem a ampliar a produtividade das lavouras. Foi de olho nessa oportunidade e no desejo de estar próxima dos agricultores que a New Holland se instalou no país.

Nessa época, em 1975, a unidade fabril era apenas um barracão, de onde a marca enviava para todo o país as colheitadeiras trazidas da Bélgica. Em 1976 foi produzida a primeira colheitadeira, chamada de Nacionalíssima, justamente por ser inteiramente fabricada no Brasil.

Já nos anos 1980 começou a expansão das linhas de montagem com o início da fabricação de tratores. ...


Uma das fábricas mais modernas, completas e versáteis do mundo está completando 45 anos em 2020.

Além de produzir tratores e colheitadeiras para atender todo o mercado brasileiro e de outros países da América Latina, a fábrica da New Holland Agriculture, marca da CNH Industrial, foi a primeira a se instalar na Cidade Industrial de Curitiba, área hoje reconhecida com um dos principais polos industriais do país.

Inaugurada em 25 de outubro de 1975, a fábrica marcou a entrada da New Holland no país, cuja agricultura começava a despontar na época para se tornar, décadas depois, uma das mais pujantes do mundo.

Mas, para fazer a agricultura brasileira crescer, os produtores rurais precisavam ter máquinas que os ajudassem a ampliar a produtividade das lavouras. Foi de olho nessa oportunidade e no desejo de estar próxima dos agricultores que a New Holland se instalou no país.

Nessa época, em 1975, a unidade fabril era apenas um barracão, de onde a marca enviava para todo o país as colheitadeiras trazidas da Bélgica. Em 1976 foi produzida a primeira colheitadeira, chamada de Nacionalíssima, justamente por ser inteiramente fabricada no Brasil.

Já nos anos 1980 começou a expansão das linhas de montagem com o início da fabricação de tratores. Atualmente, a planta de 750 mil metros quadrados, que é de propriedade da CNH Industrial, emprega 2.145 funcionários tem capacidade instalada para produção de 100 tratores, 12 colheitadeiras e 14 plataformas de colheita/dia.

“São 45 anos de história sempre ao lado do produtor, mas sem esquecer de olhar para a frente, para o futuro. A nossa fábrica nos enche de orgulho por ser eficiente, ecologicamente correta e com muita tecnologia empregada nos processos fabris. A cada dia que passa buscamos melhorar os processos para manter a fábrica sempre na dianteira no que tange à inovação, eficiência produtiva, tecnologia e sustentabilidade”, diz Rafael Miotto, vice-presidente da New Holland Agriculture para a América do Sul.

É da planta de Curitiba que sai, há 27 anos, a linha de colheitadeiras TC – a máquina mais vendida do país. Recentemente, a linha TC foi renovada, agregando mais tecnologia e conforto, mas mantendo a robustez e confiabilidade da geração anterior.
Ali também é produzida a recém-lançada linha TX, máquina derivada da TC que agrega maior desempenho operacional com seu duplo rotor de separação.

Ao longo das últimas décadas, o papel da New Holland foi decisivo para melhorar os índices da agricultura nacional, explica o executivo.

Os índices de perdas na colheita, por exemplo, chegavam a 12% nos anos 1970. A partir das máquinas produzidas pela New Holland em Curitiba, esse patamar foi reduzido para 6%, ainda na década de 70, e depois caiu para 3% na década seguinte. Hoje as perdas giram em torno de apenas 0,5%.

Além de Curitiba, onde fica a sede administrativa New Holland Agriculture, há outras três fábricas da CNH na América do Sul que produzem equipamentos New Holland: as unidades de Sorocaba e Piracicaba (SP) e a de Córdoba, na Argentina. Ao todo, são empregados 4,4 mil colaboradores nas três fábricas brasileiras.

“Os produtos e soluções que saem daqui da fábrica de Curitiba têm ajudado há décadas os agricultores de todo o Brasil a produzirem mais, em menos tempo e com mais eficiência. E temos evoluído sempre, junto com o agronegócio brasileiro e ao lado do produtor, procurando entender quais as reais necessidades dele”, observa Gustavo Taniguchi, diretor de Marketing Comercial da New Holland Agriculture para a América do Sul.

A fábrica de Curitiba opera dentro do sistema World Class Manufacturing (WCM), baseado na melhoria contínua e projetado para eliminar o desperdício e as perdas no processo de produção.

“O uso dos princípios WCM em plantas da CNH Industrial permite que toda a companhia, presente em 180 países e com mais de 63 mil colaboradores, compartilhe uma cultura comum, baseada em processos eficientes e em uma linguagem reconhecida mundialmente”, complementa.