FECHAR
FECHAR
03 de outubro de 2018
Voltar

Indústria / Crise na construção trava expansão de investimentos no país

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) projetava um crescimento de 0,5% no PIB da construção em 2018, mas agora espera uma retração de 0,6% se o PIB brasileiro crescer 1,4%, e de 1% caso o PIB suba 1,1%.

“A construção civil reage a investimentos e, sem isso, não há possibilidade de melhora no curto prazo. Frente às incertezas econômicas, revimos para baixo nossa projeção para o PIB da construção de 2018”, diz Eduardo Zaidan, vice-presidente de Economia do SindusCon-SP.

A avaliação dos empresários da construção sobre a situação atual está em 72,4 pontos, nível que indica pessimismo (abaixo de 100 pontos), 25,4 pontos aquém do patamar pré-crise, do segundo trimestre de 2013, mostrou a sondagem da FGV.

“O fundo do poço ficou para trás, mas está melhorando bem devagarzinho”, diz Ana Maria Castelo, coordenadora de Projetos na Superintendência de Estatística Públicas do Ibre/FGV. “Entre os fatores que empurraram o setor de construção para a atual crise estão fatores como o fim de obras de infraestrutura para os grandes eventos esportivos realizados no país, o ajuste fiscal conduzido pelo governo, as investigações da Operação Lava Jato envolvendo grandes construtoras e as dificuldades enfrentadas pelo mercado imobiliário.”

Produção editorial: Revista M&T – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral