FECHAR
08 de abril de 2010
Voltar
Mineração

Tecnologias que otimizam o trabalho na mina

Retomada das atividades no setor estimula novos investimentos e a demanda por soluções voltadas à maior produtividade das operações

Após a completa paralisação do mercado no fim de 2008, devido à queda do preço das commodities provocada pela crise financeira internacional, a mineração brasileira já opera dentro da normalidade, com um ritmo de crescimento ainda tímido, mas com projeções de expansão a partir de 2010. A avaliação é do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), que projeta um total de US$ 43 bilhões em investimentos no setor até 2013. “O setor de mineração planeja seus negócios a longo prazo e o volume de negócios em gestação, assim como o interesse dos investidores em novos projetos, demonstra a confiança do mercado e sinaliza o que podemos esperar para os próximos anos”, afirma Paulo Camillo Penna, presidente do Ibram.

Dos investimentos previstos, apenas a Vale deverá aportar US$ 12,9 bilhões em 2010, conforme o recente anúncio do plano de investimentos da mineradora. Desse valor, 67% deverão ser destinados a novos projetos, enquanto 23% serão voltados para o custeio das operações e 10% irão para pesquisa mineral. O dado interessante é que a retomada do mercado estimula a empresa a retirar do fundo da gaveta seus planos para ampliar a produção de minério de ferro.

Nessa área, aliás, outro player de peso prossegue na instalação de suas bases no Brasil. Trata-se da Anglo Ferrous, pertencente ao grupo Anglo American, que está investindo US$ 3,6 bilhões na implantação do Sistema Minas-Rio, um complexo envolvendo a instalação de minas e usina de beneficiamento no estado de Minas Gerais, de um mineroduto de 525 km e de um complexo portuário no estado do Rio de Janeiro. “O Sistema Minas-Rio é atualmente o maior investimento da empresa no mundo e uma peça chave em nossa estratégia global”, diz Stephan Weber, presidente da Anglo Ferrous Brasil.

Diante desse cenário, a feira Exposibram 2009, realizada simultaneamente ao 13o Congresso Brasileiro de Mineração, em Belo Horizonte (MG), pautou-se pelo otimismo. Para atender a demanda das mineradoras com soluções voltadas à maior produtividade nas operações, os fabricantes de equipamentos compareceram ao evento com lançamentos e inovações em suas linhas de produtos. Veja, a seguir, alguns destaques da feira.

Iluminação para operações de grande porte
A torre de iluminação MS9K-10, uma das maiores da linha da australiana Allight, foi apresentada ao mercado como uma solução para operações que demandam altos níveis de luminosidade em trabalhos noturnos. Com 12 kVA de potência, dos quais 9 kVA destinados apenas para a iluminação, o equipamento conta com seis lâmpadas a gás e sem filamentos, o que reduz a incidência de queima e aumenta sua vida útil. “A partir do painel de comando lateral, o operador escolhe quais lâmpadas irá acender, determinando a potência de iluminação com a qual vai trabalhar e o nível de luminosidade desejado”, afirma David Price, diretor de vendas para as Américas da Allight.