FECHAR
FECHAR
02 de agosto de 2012
Voltar
Editorial

Sinais de amadurecimento

Nos últimos anos, o crescimento do mercado brasileiro de equipamentos para construção tem impulsionado seu amadurecimento e a aplicação de soluções antes restritas apenas aos países industrializados.

Um exemplo dessa rápida mutação está presente nesta edição da revista M&T, na reportagem sobre o uso de helicópteros para a movimentação de cargas em áreas de difícil acesso. Este tipo de solução técnica era observado apenas em operações relacionadas à perfuração de petróleo e, agora, também passa a atingir outras áreas da engenharia.

Em algumas situações, como a construção de redes de dutos e linhas de transmissão na região Amazônica ou até mesmo em áreas de preservação ambiental, esta é a única alternativa viável à utilização de carretas e balsas para o transporte dos materiais e de guindastes para a elevação das cargas. Em outros casos, entretanto, como a instalação de geradores ou torres de TV em edifícios das principais capitais do país, ela representa a melhor solução para se evitar a paralisação de vias urbanas com tráfego intenso.

Essa alternativa já vem sendo considerada por grandes construtoras em alguns projetos, impulsionando a movimentação de alguns prestadores de serviço para sua oferta no mercado. Estes helicópteros especiais também são utilizados nos programas do IBAMA (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais) relacionados ao combate a incêndios em áreas de vegetação intensa ou de preservação ambiental.

O entrevistado desta edição também trata de outro assunto que sinaliza o rápido amadurecimento do mercado brasileiro, porém com enfoque nas atividades de manutenção de instalações industriais. A aplicação de conc


Um exemplo dessa rápida mutação está presente nesta edição da revista M&T, na reportagem sobre o uso de helicópteros para a movimentação de cargas em áreas de difícil acesso. Este tipo de solução técnica era observado apenas em operações relacionadas à perfuração de petróleo e, agora, também passa a atingir outras áreas da engenharia.

Em algumas situações, como a construção de redes de dutos e linhas de transmissão na região Amazônica ou até mesmo em áreas de preservação ambiental, esta é a única alternativa viável à utilização de carretas e balsas para o transporte dos materiais e de guindastes para a elevação das cargas. Em outros casos, entretanto, como a instalação de geradores ou torres de TV em edifícios das principais capitais do país, ela representa a melhor solução para se evitar a paralisação de vias urbanas com tráfego intenso.

Essa alternativa já vem sendo considerada por grandes construtoras em alguns projetos, impulsionando a movimentação de alguns prestadores de serviço para sua oferta no mercado. Estes helicópteros especiais também são utilizados nos programas do IBAMA (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais) relacionados ao combate a incêndios em áreas de vegetação intensa ou de preservação ambiental.

O entrevistado desta edição também trata de outro assunto que sinaliza o rápido amadurecimento do mercado brasileiro, porém com enfoque nas atividades de manutenção de instalações industriais. A aplicação de conceitos da engenharia da confiabilidade é o mote da entrevista concedida por Pedro Augusto Cardoso da Silva, gerente de projetos do Metrô do Rio de Janeiro, à revista M&T.

Essa abordagem na manutenção de instalações fixas, antes restrita apenas a segmentos que lidam com tecnologia de ponta, como usinas nucleares e fábricas de aviões, começa a se popularizar também na gestão de ativos dos mais diversos tipos de atividade industrial. Em um futuro não muito distante, é possível prever sua aplicação também no cuidado com os equipamentos móveis utilizados em construção e mineração.

Paulo Oscar Auler Neto

Vice-Presidente da Sobratema