FECHAR
FECHAR
03 de abril de 2017
Voltar
Manutenção

Simbologia padronizada

Espécie de “roteiro” para técnicos e engenheiros, manuais de esquemas hidráulicos são fundamentais para o procedimento de manutenção, reparo e ajuste dos sistemas

De maneira geral, os sistemas hidráulicos – inclusive os que equipam máquinas pesadas da chamada Linha Amarela de equipamentos – são componentes sofisticados, que trabalham com pressões elevadas, velocidades consideráveis e alta sensibilidade. Por isso, requerem inspeção contínua de desempenho e do estado de conservação e limpeza, além de manutenções preventivas e corretivas.

Devido a essa complexidade, não é das tarefas mais simples. Justamente para facilitar a vida dos técnicos encarregados de operar e fazer a manutenção do maquinário, quase todos os fabricantes elaboram e fornecem junto ao equipamento um Hydraulic Schematics Manual (ou Manual de Esquemas Hidráulicos). Embora para os leigos esses guias possam parecer bastante complicados, são fundamentais para os especialistas manterem os equipamentos funcionando perfeitamente, garantindo sua vida útil prevista e a disponibilidade necessária.

CUIDADOS

No entanto, antes de lançar-se mão do manual, há uma série de cuidados básicos que precisam ser observados na hora de fazer a manutenção ou conserto de sistemas hidráulicos. Dentre os principais, incluem-se não fumar próximo aos sistemas, evitar lavá-los com jatos d’água, não realizar qualquer intervenção com a parte elétrica ligada e evitar aproximação de chamas ou objetos quentes.

Também se deve tomar cuidado com a limpeza do local onde a manutenção ou conserto são realizados, para evitar a contaminação dos sistemas. Se isso ocorrer, pode haver desgastes de componentes, emperramentos e obstrução de orifícios, por exemplo. Note-se que um elemento estranho circulando num circuito hidráulico pode causar estragos relevantes, como desgaste ou, até mesmo, a quebra de um componente.

No caso do desgaste, geram-se contaminantes derivativos que, em contato com outros componentes, levam à formação de novos pontos de contaminação. Se não for feita a limpeza para eliminá-la, os custos de manutenção, substituição e reposição de peças, tempo de parada e perda de produção serão significativamente aumentados.

Atenção especial deve ser dada ao óleo, um elemento que, num sistema hidráulico, é o meio de transmissão de energia e, ao mesmo tempo, lubrificante de todos os componentes. Por isso, o correto é sempre utilizar o tipo recomendado pelo fabricante, de boa qualidade e sem misturar diferentes marcas. Antes de abastecer a unidade hidráulica, deve-se limpar externamente o reservatório e verificar se ele está limpo também internamente. Um sistema bem instalado e regulado terá um funcionamento normal e sem falhas, com vida útil garantida.