FECHAR
FECHAR
16 de dezembro de 2016
Voltar
Caminhões

Sacode a poeira

Confiantes na retomada, players da indústria de veículos pesados trazem ao país tecnologias e ferramentas antes disponíveis somente em seus mercados de origem
Por Marcelo Januário (Editor)

As montadoras de caminhões pesados com presença no Brasil estão determinadas a deixar o biênio 2015-2016 para trás. Após amargar queda sobre queda na demanda de veículos – só em 2015, o recuo na categoria de pesados (o mais importante do país) foi de exorbitantes 60,6%, caindo para a casa de 70 mil unidades anuais, segundo a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) –, alguns dos principais players da indústria renovam o arsenal de produtos e serviços disponibilizados pelas matrizes para brigar com mais força em um eventual cenário de retomada dos negócios.

É o caso da Scania, que entra 2017 reforçada com o lançamento do programa Serviços Conectados, mas também o da Mercedes-Benz, que promove seu novo câmbio PowerShift para extrapesados, ou ainda da Volvo Trucks, que nacionaliza a novíssima caixa I-Shift Crawler Gears e aperfeiçoa o sistema de gestão Dynafleet.

A Scania, inclusive, tem nova liderança para o mercado brasileiro. Com 21 anos de casa, o executivo Roberto Barral assumiu o cargo de diretor-geral das operações no Brasil em junho, mas foi apresentado à imprensa no final de outubro. “O momento econômico é desafiador, mas o Brasil sabe passar por isso. Não ficamos parados, pois eficiência é entender em profundidade o processo logístico, gerir as informações de forma mais inteligente e precisa”, disse Barral. “Com os Serviços Conectados, superamos a barreira da telemetria para oferecer uma alternativa completa ao transportador, que é beneficiado com a disponibilização dos dados do veículo, o uso inteligente dessas informações e consultoria customizada prestada pela rede de concessionárias, conforme as suas demandas de negócios e logística.”

ANÁLISE DE DADOS

Disponibilizado no dia 1º de janeiro, o novo recurso online promete “uso de dados alinhado à inteligência” para tornar a gestão mais “sustentável, eficiente e rentável”. Para isso, utiliza quatro ferramentas: planejamento de serviços, diagnóstico remoto, relatório de tendências (em um portal online) e gestor de frota. Lançado há cinco anos na Suécia, o sistema é composto por um módulo instalado no veículo – chamado Communicator –, que basicamente recolhe e envia os dados de desempenho (categorizado por parâmetros como marcha lenta, freadas, velocidade etc.), gerando um relatório periódico de tendências (semanal ou mensal) com os códigos de falhas. Assim, o dispositivo acompanha a frota em tempo real, controlando os fatores que mais impactam na rentabilidade, como consumo de combustível, desempenho do motorista e manutenção. “Pela integração de recursos que promove, esse serviço representa uma forma nova de fazer gestão de frota, agora conectada com o veículo”, diz Alex Barucco, gerente de conectividade da Scania Brasil. “Os dados sozinhos não fazem nada, por isso a proposta é atuar em parceria, ajudando na diminuição do consumo, de acidentes, desgastes, custos de manutenção e paradas indesejadas.”

Produção editorial: Revista M&T – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral