FECHAR
29 de abril de 2010
Voltar
Manutenção

Quando trocar o revestimento do britador

Apesar de ser um material de desgaste, o revestimento do britador influi diretamente na sua produtividade. Basta saber qual o tipo de peça ideal para a operação e o momento certo de trocá-la

Os itens que revestem a cavidade interna dos britadores e ficam em contato direto com os corpos britados são denominados de materiais de desgaste. Eles abrangem diferentes pecas de acordo com o tipo de equipamento a que se destinam, pois a geometria interna varia de um modelo para o outro, como os britadores de mandíbulas, de cone ou de impacto. Dessa forma, enquanto no primeiro caso os revestimentos se concentram nas mandíbulas e cunhas laterais, nos modelos cônicos eles estão situados nas mantas e na câmara interna. Nos britadores de impacto, por sua vez, são usados basicamente nas barras e martelos.

Em qualquer um desses casos, a escolha correta dos revestimentos esta relacionada ao tipo de material que sera britado, de forma que a dureza, ductilidade e resistência a abrasão das chapas usadas proporcionem maior produtividade a operação e elevada vida útil aos elementos de desgaste. Na maioria das pedreiras, por exemplo, os materiais de desgaste são confeccionados em chapas de aço manganês, um material que apresenta propriedades como alta ductilidade e baixa dureza inicial.

Alem disso, uma característica peculiar a essa liga e sua capacidade de encruamento, que ocorre quando a peca e submetida a impactos elevados. Nessas circunstancias, sua estrutura molecular sofre modificações que provocam o aumento da dureza superficial da chapa, enquanto as características internas iniciais são mantidas. Nesses casos, o revestimento alia resistência a abrasão e ao impacto. A intensidade desse fenômeno varia de acordo com a severidade da aplicação, podendo elevar a dureza superficial do aço ate a faixa de 500 HB (brinell).

Índices de desempenho

Em algumas aplicações específicas, as pecas expostas ao desgaste por contato com o material a ser britado podem utilizar aços de baixa liga em parte ou em toda a sua extensão. Com isso, elas adquirem maior resistência ao impacto mesmo em aplicações muito severas – um critério que combina fatores como o tipo de material processado e do equipamento, o estágio de britagem e as condições de operação. Como característica, essas ligas geralmente apresentam dureza inicial acima de 500 HB, o que lhes confere elevada vida útil e resistência a abrasividade, principalmente quando aplicadas em britadores cônicos e em alguns modelos de impacto, como os de martelo e de barras.

Ao se considerar as características do minério na escolha do revestimento usado no britador, e necessário atentar para o fato de que essas propriedades mudam ate dentro de uma mesma reserva mineral. Por esse e outros motivos, a definição do material de desgaste varia em cada operação, baseando-se em duas medidas básicas: o WI (work índex) e o AI (abrasion índex). Em resumo, pode- se definir o WI como o índice que mede a energia aplicada para a britagem de determinada rocha a faixa granulométrica desejada, enquanto o AI afere o desgaste provocado por essa ação.