FECHAR
FECHAR
08 de abril de 2010
Voltar
Perfil / Pronto para voltar a crescer

M&T: O senhor citou a atualização da frota realizada recentemente. Existe participação de terceiros nas operações de lavra e transporte nas minas?
Luiz Eulálio: Nossa frota é toda própria. Nunca terceirizamos os serviços de lavra e transporte em função dos bons resultados obtidos com esse modelo. O que fazemos é alugar alguns equipamentos complementares para a substituição de um nosso que esteja em manutenção. Fazemos isso em caráter transitório e em períodos curtos de locação. Terceirizamos apenas o transporte externo, ou seja, a entrega do produto final ao cliente. Optamos por terceirizar essa etapa da operação para empresas transportadoras e os resultados têm sido bons, com ganhos de eficiência e de custo por tonelada e quilômetro rodado. Nesse caso, podemos falar em uma redução média de custos de cerca de 20%.

M&T: Qual é a estrutura adotada pela empresa para a manutenção dos equipamentos?
Luiz Eulálio: A manutenção é centralizada na nossa unidade de Embu. Temos uma oficina central, com departamento de compras, almoxarifado e toda a gerência de manutenção e reformas. Mas com a reformulação da frota, estamos basicamente contratando esse serviço junto aos distribuidores, pois não temos equipe para suportar as demandas de manutenção desses novos equipamentos. Não queremos ampliar nossa equipe e sim envolver o distribuidor com o nosso trabalho, trazendo os prestadores de serviços mais próximos da nossa operação. O contrato de manutenção preventiva, por exemplo, contempla a capacitação da equipe, o que representa outro ganho para a Embu. Atualmente, estamos implantando esse novo processo com um contrato parcial, que envolve as atividades preventivas, análises e já notamos um envolvimento maior do dealer em relação ao que era feito antes.

M&T: Essa maior interação com o distribuidor, assim como a simplificação de muitas atividades de manutenção, também decorre do avanço da eletrônica embarcada, não é mesmo?
Luiz Eulálio: Exatamente, pois os recursos eletrônicos conferem maior confiabilidade à operação por meio do melhor controle do equipamento. Junto com a gerência de manutenção e o dealer, fazemos um acompanhamento rigoroso do desempenho do equipamento em tempo real. Isso melhora o processo. Ainda se trata de algo recente, mas o uso dessas tecnologias nos permite antecipar soluções, enxergar problemas de operação e corrigir tudo de imediato. Com isso, podemos antecipar muitas situações, aumentando a disponibilidade dos equipamentos e sua vida útil. As carretas de perfuração são um exemplo: temos cinco máquinas dessa linha equipadas com recursos de eletrônica embarcada, o que nos permite coletar informações em tempo real sobre sua operação no campo.