FECHAR
FECHAR
31 de outubro de 2012
Voltar
Momento Construction

Palco para as empresas de locação

Com crescimento de 26% ao ano, setor também será debatido no Sobratema Congresso

Entre 2007 e 2011, o mercado da construção cresceu cerca de 30%. Em contrapartida, o setor de locação, especificamente na Linha Amarela, cresceu aproximadamente 104% no mesmo período (média de 26% ao ano), expandindo consideravelmente sua participação no setor de máquinas. Com esta evolução o segmento está atraindo novos empreendedores.

De acordo com Eurimilson João Daniel, vice-presidente da Sobratema, os dois principais pilares deste crescimento são a produtividade e competitividade dos equipamentos. “O número de máquinas que estão sendo comercializadas para o setor de rental representa hoje 30% do total produzido”, diz ele.

Reunindo toda a cadeira da construção, a Construction Expo 2013 – 2ª Feira Internacional de Edificações e Obras de Infraestrutura, evento que acontecerá no período de 5 a 8 de junho de 2013, em São Paulo, não poderia deixar de contemplar o maior número possível de empresas locadoras brasileiras, não só da Linha Amarela, mas do setor como um todo. “O objetivo é estreitar o relacionamento entre os empresários e expositores, gerando novos negócios e futuras parcerias”, ressalta Daniel.

Atualidade

A área de locação será também um dos destaques do Sobratema Congresso – Edificações & Obras de Infraestrutura, que ocorrerá simultaneamente à feira Construction Expo 2013. Um dos pontos que inevitavelmente será debatido é a situação atual do setor de locação no Brasil, que registra um aumento da concorrência e, em muitas regiões, uma acentuada queda dos preços. Outro aspecto a ser debatido são os entraves burocráticos que impedem um avanço ainda mais rápido do setor.

Segundo um levantamento feito por Daniel, para dar início a uma obra as empresas devem cumprir uma série de exigências, tais como o fornecimento da documentação da empresa, da máquina e de toda a equipe, além de atender às normas ambientais e de segurança. “É um desafio atender toda essa parte burocrática, pois só podemos produzir se estivermos com a documentação completa”, pontua. “Com isso, o custo também acabou aumentando. Para cada grupo de 10 empregados, há um custo inicial de R$ 15 mil reais, sem contar as despesas mensais.”

Amplitude

Mais amplo evento do setor realizado no país, a feira Construction Expo 2013 trará ainda salões temáticos e novidades sobre métodos construtivos, fornecedores de serviços e fabricantes de


Entre 2007 e 2011, o mercado da construção cresceu cerca de 30%. Em contrapartida, o setor de locação, especificamente na Linha Amarela, cresceu aproximadamente 104% no mesmo período (média de 26% ao ano), expandindo consideravelmente sua participação no setor de máquinas. Com esta evolução o segmento está atraindo novos empreendedores.

De acordo com Eurimilson João Daniel, vice-presidente da Sobratema, os dois principais pilares deste crescimento são a produtividade e competitividade dos equipamentos. “O número de máquinas que estão sendo comercializadas para o setor de rental representa hoje 30% do total produzido”, diz ele.

Reunindo toda a cadeira da construção, a Construction Expo 2013 – 2ª Feira Internacional de Edificações e Obras de Infraestrutura, evento que acontecerá no período de 5 a 8 de junho de 2013, em São Paulo, não poderia deixar de contemplar o maior número possível de empresas locadoras brasileiras, não só da Linha Amarela, mas do setor como um todo. “O objetivo é estreitar o relacionamento entre os empresários e expositores, gerando novos negócios e futuras parcerias”, ressalta Daniel.

Atualidade

A área de locação será também um dos destaques do Sobratema Congresso – Edificações & Obras de Infraestrutura, que ocorrerá simultaneamente à feira Construction Expo 2013. Um dos pontos que inevitavelmente será debatido é a situação atual do setor de locação no Brasil, que registra um aumento da concorrência e, em muitas regiões, uma acentuada queda dos preços. Outro aspecto a ser debatido são os entraves burocráticos que impedem um avanço ainda mais rápido do setor.

Segundo um levantamento feito por Daniel, para dar início a uma obra as empresas devem cumprir uma série de exigências, tais como o fornecimento da documentação da empresa, da máquina e de toda a equipe, além de atender às normas ambientais e de segurança. “É um desafio atender toda essa parte burocrática, pois só podemos produzir se estivermos com a documentação completa”, pontua. “Com isso, o custo também acabou aumentando. Para cada grupo de 10 empregados, há um custo inicial de R$ 15 mil reais, sem contar as despesas mensais.”

Amplitude

Mais amplo evento do setor realizado no país, a feira Construction Expo 2013 trará ainda salões temáticos e novidades sobre métodos construtivos, fornecedores de serviços e fabricantes de produtos, matérias primas, insumos para construção de edifícios residenciais, comerciais e industriais, shopping centers e hospitais, além de abranger as áreas de execução de obras em rodovias, ferrovias, metrôs, pontes, acessos, terminais de cargas e estaleiros, hidrelétricas, termelétricas, usinas eólicas, oleodutos e gasodutos, estruturas metálicas e saneamento, entre outras.

Destaque para Portos e Aeroportos

Abrangendo todo o espectro da construção, a feira Construction Expo 2013 também apresentará novas soluções e métodos para edificação, ampliação e manutenção da infraestrutura portuária e aeroportuária. De acordo com Hugo Ribas Branco, diretor comercial da Sobratema, esses setores terão grande destaque no evento devido ao aumento considerável da demanda nos portos nos últimos anos, assim como a crescente demanda nos aeroportos.

Dados da área de Logística de Carga da Infraero, por exemplo, mostram que, no período de janeiro a julho de 2012, a Rede TECA (Terminais de Logística de Carga) movimentou um montante de R$ 202,9 milhões excluídos desse valor os aeroportos em concessão. “Nesse sentido, são exemplos de áreas contempladas na feira tanto materiais, serviços e equipamentos para a ampliação e manutenção de terminais de passageiros, áreas de embarque e desembarque, pátios de manobra, hangares, pistas de pouso e decolagem, como cais, docas, píeres, armazéns e obras para aprofundamento e aumento do calado”, enumera o diretor.

Tecnologias para a área de saneamento

Recentemente, o governo federal anunciou a liberação de recursos no valor de R$ 20,8 bilhões para obras de abastecimento de água e esgotamento sanitário a 306 cidades brasileiras com população superior a 250 mil habitantes e localizadas em 12 regiões metropolitanas, por meio do PAC 2. No final do ano passado, o Governo já havia disponibilizado um aporte de R$ 3,7 bilhões para 1.116 municípios, com até 50 mil habitantes de 18 estados, também pelo PAC 2.

Essa sequência de investimentos deve impulsionar os negócios das empresas fornecedoras de materiais, produtos e serviços para a área de saneamento, que também terão destaque na Construction Expo 2013. “A exposição apresentará novas soluções e métodos para construção, ampliação e manutenção da estrutura de abastecimento de água e esgotamento sanitário”, antecipa Ribas.