FECHAR
FECHAR
26 de maio de 2018
Voltar
Compactos & Ferramenta

Ofertas para o varejo

Com a participação de 700 expositores, a Feicon Batimat 20018 evidenciou a principal estratégia de negócios adotada pelo setor, que começa se recuperar nas vendas

Realizada em São Paulo entre os dias 10 e 13 de abril, a 24ª edição da feira Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção e Arquitetura) marca um momento em que, mesmo com as insistentes oscilações no mercado, a indústria de materiais de construção vem registrando níveis mais positivos de negócios e, por isso, mostra-se mais confiante.

Segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Índice de Confiança do Empresário da Construção subiu para 57,2 pontos em janeiro, no maior nível obtido desde fevereiro de 2013 e que pode ser interpretado como um sinal animador para o setor. Outros números mostram isso. De acordo com Cláudio Conz, presidente da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), o varejo de material de construção encerrou o ano com 6% de crescimento sobre 2016, com um faturamento de 114,5 bilhões de reais, como mostram os dados da Pesquisa Tracking mensal da própria Anamaco. “É um setor que vem mostrando crescimento desde o segundo semestre do ano passado”, destacou Conz. “Para 2018, a expectativa é que o setor avance 8,5%.”

Esse cenário promissor, como apontou Rodrigo Navarro, recentemente apontado como novo presidente da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), também pôde ser observado no mês de março, no qual o índice de crescimento no faturamento deflacionado no trimestre foi de 2,1%. Mas ainda é preciso ter cautela na análise desses números. “O resultado positivo ainda não significa plena recuperação, uma vez que, tendo como referência o acumulado dos últimos 12 meses, ou seja, de abril de 2017 a março de 2018, o faturamento registra queda de 1,6%”, contrapôs.

Isso mostra uma instabilidade que ainda não foi totalmente superada. Após alguns anos de recessão econômica profunda, muitas obras públicas seguem paralisadas e, muito provavelmente, devem ser retomadas somente após as eleições. Dessa forma, a expectativa do mercado é que as vendas para o varejo continuem como o principal gancho de mercado para o setor.

Foi nesse clima que a Feicon 2018 ganhou os holofotes. Sediada no São Paulo Expo, a edição reuniu 700 expositores, que receberam um público de cerca de 80 mil visitantes para conferir suas novidades em produtos e serviços para o setor de varejo da construção civil. Segundo os organizadores, o evento gerou mais de R$ 27 milhões em negócios, apenas nas rodadas de negócios.

Produção editorial: Revista M&T – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral