FECHAR
FECHAR
08 de abril de 2010
Voltar
Empresa

Gestão nota dez

Com uma sólida política de gestão de pessoal, baseada na transparência e imparcialidade dos procedimentos adotados, a Caterpillar é eleita a “Melhor Empresa para Trabalhar no Brasil” em dois rankings dos mais conceituados do país

Não foi apenas uma, mas duas vezes – e consecutivas. Tanto no ranking da revista Época como no da Você S.A./Exame, a Caterpillar foi eleita a “Melhor Empresa para Trabalhar no Brasil”. As duas conquistas repercutiram em todos os escalões da companhia, desde a diretoria até o chão de fábrica, provocando um sentimento de satisfação entre os funcionários. “As pessoas sentem orgulho de trabalhar nesta empresa, pois nosso processo de gestão estimula um ambiente de empreendedorismo no qual todos possam sentir esse local como sua segunda casa”, afirmou o presidente da Caterpillar, Luiz Carlos Calil, em entrevista exclusiva à revista M&T (veja na pág. 58).

Acostumada a frequentar o topo de ambas as listas, a empresa recebeu a notícia da dupla conquista em um momento peculiar, após a turbulência econômica do fim de 2008, quando precisou demitir 1.000 funcionários. Calil avalia que a premiação se deve, em grande parte, à forma como a companhia conduziu o processo. “Adiamos a decisão ao máximo, mas quando foi necessário tomá-la, ela se baseou em critérios absolutamente transparentes e imparciais”, diz ele.

Essas duas características, aliás, pautam toda a política de gestão de pessoas da Caterpillar, conforme atestaram as avaliações da revista Época e da Você S.A./Exame, conduzidas respectivamente pelo Great Place to Work Institute, uma renomada instituição internacional, e pela Fundação Instituto de Administração (FIA) da Universidade de São Paulo (USP). Ambas as análises se basearam em pesquisa de satisfação junto aos funcionários e em auditoria dos processos de gestão adotados pela empresa, incluindo o pacote de benefícios oferecido, as oportunidades de carreira e o nível de envolvimento do pessoal.

Visita de congratulação
Em congratulação à Caterpillar pela conquista dessa posição, o presidente da Sobratema, Afonso Mamede, presenteou a empresa com uma placa comemorativa. Ela foi entregue a Calil durante a visita de uma delegação da associação à fábrica de Piracicaba (SP), ocorrida por ocasião do evento “Cat ao Vivo”, quando a fabricante abre suas portas para receber clientes, distribuidores e demais profissionais do setor de equipamentos.

A programação da visita contemplou ainda uma passagem pela unidade de Sumaré (SP) da Sotreq, empresa responsável pela distribuição e suporte de pós-venda


Não foi apenas uma, mas duas vezes – e consecutivas. Tanto no ranking da revista Época como no da Você S.A./Exame, a Caterpillar foi eleita a “Melhor Empresa para Trabalhar no Brasil”. As duas conquistas repercutiram em todos os escalões da companhia, desde a diretoria até o chão de fábrica, provocando um sentimento de satisfação entre os funcionários. “As pessoas sentem orgulho de trabalhar nesta empresa, pois nosso processo de gestão estimula um ambiente de empreendedorismo no qual todos possam sentir esse local como sua segunda casa”, afirmou o presidente da Caterpillar, Luiz Carlos Calil, em entrevista exclusiva à revista M&T (veja na pág. 58).

Acostumada a frequentar o topo de ambas as listas, a empresa recebeu a notícia da dupla conquista em um momento peculiar, após a turbulência econômica do fim de 2008, quando precisou demitir 1.000 funcionários. Calil avalia que a premiação se deve, em grande parte, à forma como a companhia conduziu o processo. “Adiamos a decisão ao máximo, mas quando foi necessário tomá-la, ela se baseou em critérios absolutamente transparentes e imparciais”, diz ele.

Essas duas características, aliás, pautam toda a política de gestão de pessoas da Caterpillar, conforme atestaram as avaliações da revista Época e da Você S.A./Exame, conduzidas respectivamente pelo Great Place to Work Institute, uma renomada instituição internacional, e pela Fundação Instituto de Administração (FIA) da Universidade de São Paulo (USP). Ambas as análises se basearam em pesquisa de satisfação junto aos funcionários e em auditoria dos processos de gestão adotados pela empresa, incluindo o pacote de benefícios oferecido, as oportunidades de carreira e o nível de envolvimento do pessoal.

Visita de congratulação
Em congratulação à Caterpillar pela conquista dessa posição, o presidente da Sobratema, Afonso Mamede, presenteou a empresa com uma placa comemorativa. Ela foi entregue a Calil durante a visita de uma delegação da associação à fábrica de Piracicaba (SP), ocorrida por ocasião do evento “Cat ao Vivo”, quando a fabricante abre suas portas para receber clientes, distribuidores e demais profissionais do setor de equipamentos.

A programação da visita contemplou ainda uma passagem pela unidade de Sumaré (SP) da Sotreq, empresa responsável pela distribuição e suporte de pós-venda aos produtos Caterpillar no Norte, Centro-Oeste e Sudeste do país. Assim como a fabricante de equipamentos, sua distribuidora figura nos quadros de associados da Sobratema. Dessa forma, as duas visitas foram planejadas dentro do propósito de promover a contínua aproximação entre a associação e seus representados.

Na passagem pela Sotreq, o grupo da Sobratema foi recebido por José Alberto Bueno, gerente de suporte ao produto em São Paulo. “A unidade de Sumaré figura como uma das nossas quatro instalações centrais, juntamente com a de Belo Horizonte (MG), Belém (PA) e Goiânia (GO)”, explica Bueno.

Suporte ao cliente
A empresa atribui essa denominação a filiais completas, que têm oficina equipada para realizar todos os serviços oferecidos ao mercado, além de um estoque de peças robusto. Em Sumaré, por exemplo, ela armazena mais de 22 mil t de peças de reposição em um galpão de 2,3 mil m². Essa instalação central responde pelo abastecimento de outras sete filiais de São Paulo, com o despacho das peças durante a noite, de forma a possibilitar o pronto atendimento aos pedidos dos clientes.

A unidade de Sumaré conta ainda com um laboratório de mangueiras e uma oficina para remanufaturar componentes, onde realiza mensalmente o recondicionamento de cerca de 50 motores. Além disso, ela abriga o Centro de Monitoramento das Condições das Máquinas, que oferece suporte aos trabalhos de manutenção no campo. “Com o acompanhamento das horas trabalhadas, a delimitação da área de operação e a identificação de falhas hierarquizada em três níveis, tudo por meio de satélite, a tecnologia permite um controle rigoroso da manutenção dos equipamentos e a consequente melhoria na gestão dos custos”, avalia Bueno.

A partir de Sumaré, a empresa realiza todo o gerenciamento remoto das máquinas Caterpillar que operam na área de cobertura da Sotreq. De acordo com o executivo, atualmente o programa atende cerca de 900 equipamentos. “O cliente pode optar por receber somente as informações sobre os controles realizados ou repassar todo o gerenciamento à Sotreq, que presta a consultoria em relação aos eventuais códigos de falhas captados.”