FECHAR
FECHAR
15 de agosto de 2019
Voltar
Comércio Exterior

Ferramenta de combate à crise

Em períodos de baixa, muitos setores da economia podem se beneficiar da força do mercado internacional, que exige dedicação e empenho por parte das empresas
Por Renan Rossi Diez

Com alta do dólar, os empresários brasileiros estão cada vez mais próximos de mercados estrangeiros

Dezenas de adjetivos podem qualificar e descrever o mundo dos negócios. Sabemos que é uma atividade dinâmica, competitiva, complexa e permanentemente suscetível a eventuais crises. Por isso, nesses períodos conturbados o mais importante é manter o foco e se destacar por meio de alternativas que alavanquem o negócio diante dos concorrentes.

Nesse ponto, o comércio internacional pode ser um diferencial fundamental para este destaque que o mercado exige. Embora muitos empresários acreditem que o comércio exterior sai enfraquecido em períodos de crise, é importante ressaltar que essas análises são baseadas em panoramas gerais, ou seja, é evidente que, nesses períodos de baixa, muitos setores da economia podem se beneficiar da força do mercado internacional.
Aproveitando-se da situação cambial no decorrer dos últimos anos – com uma alta significativa do dólar em relação ao real –, muitos empresários estão se apoiando nas exportações para garantir um lucro maior às suas operações. Naturalmente, estas exportações não se iniciaram na crise, pois a exportação é fruto de um projeto de dedicação e empenho por parte da empresa.

GLOBALIZAÇÃO

Em momentos de crise, os empresários que acreditam que o mercado nacional cumpre as necessidades de sua empresa podem ser surpreendidos, enquanto os que já preveem tal situação podem se apoiar no comércio exterior para garantir a saúde financeira da empresa.
Na importação, isso não é diferente. Infelizmente, em períodos de crises econômicas é bastante comum a diminuição do quadro de funcionários da empresa e, diante do custo inflacionado de produção, recorre-se à importação para atendimento da demanda, como uma alternativa viável para que a empresa não pare.

Também é possível observar que, em tempos de crise, o governo normalmente mantém programas de amparo ao empresário. No âmbito do comércio exterior, podem ser destacados os créditos destinados a exportações, através do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), além de programas de financiamento a importações, por meio de linhas de crédito captadas no exterior e com um prazo negociado com os bancos.