FECHAR
FECHAR
06 de março de 2020
Voltar
Lançamento

Evolução no portfólio

Mercado brasileiro de escavadeiras hidráulicas ganha mais uma opção com a chegada do novo modelo da Komatsu, que traz duas versões na classe de 20 toneladas

A fabricante japonesa Komatsu reforça sua presença no segmento nacional de escavadeiras pesadas com o lançamento da nova máquina PC210, que chega ao mercado em duas versões: PC210-10M0 (considerada Standard) e PC210LC-10M0 (com Carro Longo).

Destinadas principalmente aos segmentos de construção, locação e agrícola, as novas escavadeiras hidráulicas da Classe C (de até 22,5 t) disputam um nicho que atualmente corresponde a aproximadamente 55% do mercado global desses maquinários pesados. “Por isso, a importância em lançar as novas versões da PC210, pois além de serem equipamentos com uma versatilidade grande de aplicações, também possuem representatividade de mercado”, afirma Ricardo Zurita, gerente de marketing de produto da empresa.

PREMISSAS

O momento é oportuno também por outro motivo. De acordo com dados do Estudo de Mercado da Sobratema e da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), o segmento da Linha Amarela apresentou um crescimento em torno de 30% em 2019, sendo que para 2020 as expectativas são de que o mercado ao menos mantenha os níveis de crescimento.

Para brigar pela demanda interna que volta a crescer, Zurita assegura que o equipamento foi desenvolvido levando em consideração as premissas atuais de qualidade do setor, como maior durabilidade, menor consumo de combustível e baixo custo de reparo e manutenção. “Entre os principais pontos incluídos nessa nova versão estão a capacidade da caçamba, que varia de 1,2 m³ a 1,5 m³; e a potência líquida do motor, que é de 165 hp”, detalha o especialista. “Mas o principal destaque é que todo o projeto foi desenvolvido pensando na redução de consumo de combustível, que neste modelo gira em torno de 19%.”

Para isso, diz Zurita, a máquina conta com comunicação aperfei&cc


A fabricante japonesa Komatsu reforça sua presença no segmento nacional de escavadeiras pesadas com o lançamento da nova máquina PC210, que chega ao mercado em duas versões: PC210-10M0 (considerada Standard) e PC210LC-10M0 (com Carro Longo).

Destinadas principalmente aos segmentos de construção, locação e agrícola, as novas escavadeiras hidráulicas da Classe C (de até 22,5 t) disputam um nicho que atualmente corresponde a aproximadamente 55% do mercado global desses maquinários pesados. “Por isso, a importância em lançar as novas versões da PC210, pois além de serem equipamentos com uma versatilidade grande de aplicações, também possuem representatividade de mercado”, afirma Ricardo Zurita, gerente de marketing de produto da empresa.

PREMISSAS

O momento é oportuno também por outro motivo. De acordo com dados do Estudo de Mercado da Sobratema e da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), o segmento da Linha Amarela apresentou um crescimento em torno de 30% em 2019, sendo que para 2020 as expectativas são de que o mercado ao menos mantenha os níveis de crescimento.

Para brigar pela demanda interna que volta a crescer, Zurita assegura que o equipamento foi desenvolvido levando em consideração as premissas atuais de qualidade do setor, como maior durabilidade, menor consumo de combustível e baixo custo de reparo e manutenção. “Entre os principais pontos incluídos nessa nova versão estão a capacidade da caçamba, que varia de 1,2 m³ a 1,5 m³; e a potência líquida do motor, que é de 165 hp”, detalha o especialista. “Mas o principal destaque é que todo o projeto foi desenvolvido pensando na redução de consumo de combustível, que neste modelo gira em torno de 19%.”

Cabina do modelo PC210, que chega para disputar o nicho de 20 t

Para isso, diz Zurita, a máquina conta com comunicação aperfeiçoada entre a bomba hidráulica e o motor diesel, além de incluir no pacote itens como bomba hidráulica de alta capacidade, sistema hidráulico redesenhado e embreagem no ventilador do sistema de arrefecimento. “O sistema de acionamento do ventilador de refrigeração usa um sistema diferenciado, que não é uma correia, mas sim uma embreagem que varia conforme a demanda”, explica. “Assim, a máquina liga o ventilador na velocidade máxima apenas quando precisar.”

Na questão de projeto e durabilidade, houve melhorias em vários pontos da estrutura, com reforço na coroa de giro, maior proteção do braço para operações severas e inclusão de sensor de obstrução do filtro de óleo hidráulico, além de incluir pré-filtro adicional de combustível, pré-filtro de ar do motor e sensor de blow-by (sopro) do motor, que mede com frequência o desgaste e traça uma linha de possíveis avarias. “Além disso, os principais componentes são projetados e produzidos exclusivamente pela Komatsu, como chassis, equipamento de trabalho, motor, bombas e comando hidráulico”, diz Zurita, destacando o esforço de desenvolvimento promovido pela unidade brasileira no projeto. “Para os principais pontos de esforço do equipamento, que são projetados para serviços pesados na construção, usamos componentes de aço fundido totalmente desenvolvidos e produzidos em nossa fábrica.”

Já no quesito manutenção, Zurita garante que a nova configuração da máquina apresenta maior facilidade de acesso aos itens de preventivas periódicas, como filtros, indicadores de níveis de fluidos e chave geral na bateria. “O produto também traz novo filtro de óleo hidráulico com intervalo de substituição prolongado, de 1.000 h para 2.500 h, e alternador de maior capacidade, de 35 Ah para 60 Ah”, descreve.

ESTRATÉGIA

Segundo o gerente de construção, Luciano do Amaral Rocha, a PC210 – que já está sendo produzida em Suzano (SP) desde fevereiro – é “uma evolução do portfólio de produtos da empresa, atendendo a uma demanda consistente do mercado de escavadeiras hidráulicas de 20 t, que hoje concentra aproximadamente 50% da demanda brasileira”, em linha com a demanda global.

Portfólio que, ele destaca, inclui diversas famílias de equipamentos. Segundo o executivo, além das escavadeiras as principais linhas de produtos produzidos no país incluem tratores de esteiras, pás carregadeiras de rodas e motoniveladoras, que juntas representam em torno de 3% dos negócios da Komatsu no mundo. “Na verdade, a fábrica no Brasil produz 22 modelos, vendidos localmente e exportados para diversos países”, diz ele.

Ademais, ele ajunta, a fabrica foi a primeira da empresa instituída fora do Japão. Fundada em 1975, a unidade conta com área de 630 mil m², apoiada por uma rede consolidada. “Hoje, a Komatsu Brasil International conta com 10 distribuidores e 27 pontos de atendimento e cobertura em todo o território nacional”, acrescenta. “Isso mostra como o país é importante para a fabricante, que acredita que o mercado brasileiro irá crescer nos próximos anos.”

Fabricante investe pesado em P&D

Rocha: pesquisa garante relevância

Como ressalta o gerente Luciano do Amaral Rocha, a Komatsu investe constantemente em pesquisa e desenvolvimento de produtos, sendo que no último ano fiscal da empresa, fechado em março de 2020 (que contabiliza os anos de 2018/2019), a área recebeu um investimento de ¥ 73 milhões (em ienes, moeda japonesa), “Nos últimos anos, a Komatsu vem formando joint-ventures com empresas dos setores de mineração e florestal, reforçando a presença em diferentes esferas econômicas nos países em que atua”, diz.

Saiba mais:
Komatsu Brasil: www.komatsu.com.br